logo
/ Freepik / Freepik
Colunistas 04/06/2021

Como treinar on-line com segurança

A busca por atividade física on-line explodiu com a pandemia — o que era tendência virou realidade. Em aplicativos, sites e nas redes sociais, as opções incluem treinos gratuitos, lives abertas no Instagram, studios virtuais, apps com preços camaradas e até a personal trainer virtual.

É lógico que treinar on-line não é a mesma coisa que ter aula presencial: cada proposta tem suas vantagens e desvantagens. Mas não há dúvida que, em tempos de Covid, as aulas virtuais são uma maneira prática de encaixar a atividade física na rotina. E nunca foi tão importante se exercitar com regularidade.

“A ciência já comprovou os inúmeros benefícios da atividade física. Ela reduz o risco de doenças crônicas (como diabetes, hipertensão, obesidade e vários tipos de câncer), fortalece os ossos, faz bem para o cérebro, ajuda a dormir melhor e garante energia e disposição”, diz Bruno Gualano, fisiologista do exercício e professor da Faculdade de Medicina da USP.

Colocar o corpo em movimento contribui para manter o sistema imune em alta e tem um papel importante para a redução do estresse, da ansiedade e de sintomas depressivos.

Quanto treinar?
A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece e recomenda a prática regular de atividade física. Todo movimento conta: de atividades como caminhar ao mercado, passear com o cachorro ou subir escadas até exercícios físicos programados, como uma aula de ginástica.

A recomendação é praticar:

  • 150 a 300 minutos de atividade aeróbica moderada por semana ou
  • 75 a 150 minutos por semana de atividade física intensa, quando não houver contraindicação.

Qual o treino ideal?
O melhor exercício é o que você gostar de fazer. Explico: para colher os benefícios da atividade física, o ponto principal é a regularidade. E você só vai conseguir essa constância se o exercício der prazer. Depois de 40 anos me exercitando e de 25 anos cobrindo a área como jornalista, te garanto que não existe não gostar de se exercitar. Quem pensa assim ainda não encontrou o exercício para chamar de seu.

Como descobrir? Experimentando.
Entre as vantagens dos treinos virtuais está a oportunidade de testar vários tipos de aulas. Além dos treinos clássicos de ginástica e funcional, há dança de todos os tipos, yoga, mat pilates e lutas.

“O importante é que a aula seja conduzida por um profissional: educador físico ou professor certificado (nos casos de dança e yoga)”, afirma a personal trainer Carol Borba, expert em treinos on-line.

Para treinar on-line no dia a dia, Carol sugere conectar a plataforma (site, Youtube, Zoom ou celular) na tela da TV, para enxergar os detalhes, e prestar muita atenção ao que o professor está falando.

“O ideal é treinar pelo menos três vezes por semana. Para conseguir encaixar a atividade física na agenda, sugiro treinar pela manhã. Coloque o relógio para despertar 30 minutos antes e faça um treino rápido de 20 minutos.”

Para o treino render

Confira as dicas dos especialistas Bruno Gualano e Carol Borba.

1. Prepare o ambiente
Você não precisa de muito espaço para treinar em casa: escolha um canto agradável, arejado e com boa iluminação. E defina um horário para a aula. A disciplina é essencial para criar uma rotina.

2. Descubra uma atividade que motive
O melhor exercício é o que você gosta de fazer: só assim terá regularidade e resultado. Se não gostava de levantar peso na academia, vai achar chato treinar com carga em casa.

3. Respeite seu nível de condicionamento
Não adianta querer tirar o atraso e fazer um treino puxado se está parado faz meses. Melhor começar com aulas mais leves, nível iniciante, e ir avançando aos poucos.

4. Treine com um professor
Para treinar on-line com segurança é fundamental que a aula seja dada por um profissional de educação física. Escute as orientações do professor e, se der, conecte a aula na TV.

5. Se doer, pare
A dor de uma lesão é diferente daquela dor muscular do dia seguinte do treino. “Se sentir dor durante o treino, pare na hora”, diz Gualano.


Siga nas redes sociais:
Facebook | Instagram | YouTube | Biolinky

Colunas anteriores:
Esta semana, repense o seu estilo de vida

Fazer o bem faz bem: a ciência comprova