Social

Polícia do Equador: crianças menores de 13 anos não devem ter redes sociais

O perigo nas redes para as crianças

Instagram

O acesso às redes sociais não é recomendado para crianças antes dos 13 anos, de acordo com as autoridades policiais. Uma psicóloga especializada em crianças concorda com isso, afirmando que o uso de dispositivos móveis deve ser feito sob supervisão de um adulto.

Na internet, as crianças têm acesso a informações de diferentes tipos. Gonzalo García, chefe da Unidade de Cibercrimes da Polícia Nacional do Equador, explica que não é recomendável que as crianças tenham acesso a dispositivos móveis, muito menos a perfis em redes sociais.

“Se, por algum motivo, as crianças devem ter acesso a um dispositivo, é necessário ter políticas de controle em casa”, diz García. A discussão sobre o acesso às redes sociais é retomada após o desaparecimento de Danna Ramos, uma menina de 8 anos, que desapareceu na cidade de Riobamba, no Equador. O que levantou a importante discussão.

De acordo com as primeiras investigações do Ministério Público daquele país, ela saiu de casa no dia 1º de fevereiro de 2024, após receber uma mensagem através das redes sociais.

Segundo García, atualmente os cibercriminosos utilizam jogos online para se aproximar de menores. Para isso, eles se passam pela identidade de outras crianças até ganhar sua confiança. Para os especialistas, o perigo aumenta em fases, pois o criminoso cibernético pode até mesmo solicitar fotos de caráter sexual aos menores.

No pior cenário, dizem os especialistas, os criminosos podem até mesmo chegar ao contato físico com os menores. Para a psicóloga clínica, Soledad Ríos, os pais devem permanecer constantemente alerta para saber com quem seus filhos brincam e se relacionam online.

Segundo relatos, há comportamentos das crianças que podem alarmar com o uso de dispositivos. Por exemplo, quando se isolam nos dispositivos móveis ou passam muito tempo trancados em seus quartos.

Por isso, é importante estabelecer limites de tempo para evitar distrações e garantir um uso adequado do celular. Além disso, destaca-se a importância de regular o uso de redes sociais, já que podem tornar-se uma fonte de vício afetar o rendimento escolar. No caso das aulas online, sugere-se que os pais tenham controle parental para supervisionar o acesso a plataformas como o Zoom.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos