Social

Homem evita relações sexuais com sua companheira por ser alérgico ao próprio esperma

A condição faz com que ele tenha sintomas de gripe ao ter orgasmo

Homem evita relações sexuais com sua companheira por ser alérgico ao próprio esperma

Um homem que não teve seu nome divulgado alega ter problemas no seu relacionamento em virtude da sua condição rara. De acordo com o site espanhol 20 Minutos, o rapaz de 27 anos apresenta sintomas de gripe toda vez que tem orgasmo.

O caso foi publicado recentemente na revista médica Urology Case Reports por uma equipe de médicos que conseguiu tratar com sucesso a condição com anti-histamínicos.

Segundo a publicação, os pesquisadores explicam que a patologia se trata de uma resposta alérgica e autoimune ao esperma produzido pelo próprio homem. Quando ocorre o orgasmo, o homem apresenta sinais como febre, tosse, espirros, fraqueza muscular, além de problemas de concentração, memória e até mesmo de fala.

Por causa do problema, o homem revelou ter evitado ser ativo e dormir com sua namorada, conforme relata o site Odditycentral.

Caso do homem não é o único

Por mais raro que pareça ser, o caso não é o único. Na filosofia médica existem aproximadamente 60 casos parecidos. O nome dado à condição foi síndrome da doença pós-orgásmica, ou postorgasmic illness syndrome (POIS). Ela é lida como uma causa de disfunção sexual, mas por ser incomum, diagnosticada erroneamente.

Dr. Andrew Shanholtzer, um dos autores da pesquisa, diz que, a causa de POIS ainda é desconhecida, mas acredita-se que ela seja consequência de uma infecção ou lesão nos testículos, causando a filtragem de quantidades microscópicas de esperma para a corrente sanguínea, desencadeando uma resposta imunológica.

“Há algumas células especiais chamadas Sertoli que nutrem e cercam o esperma e o mantém isolado das células imunológicas. Quando elas são danificadas, os espermatozóides são expostos ao sistema imunológico pela primeira vez e este os ataca como se fossem um vírus ou uma bactéria estranha”, diz o médico.

Neste caso, em específico do homem de 27, os sintomas começaram aos 18 anos. Após isso, ele evitou relações sexuais com vergonha dos sinais que vinham após o orgasmo, que era acompanhado de tosse, corrimento nasal e espirros e também urticária em seus braços.

Ele foi tratado com vários anti-histamínicos, com a fexofenadina diminuindo os sintomas em 90%. “Ainda há um raio de esperança para que você possa voltar a desfrutar de uma relação amorosa plena”, conclui o médico.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos