logo
/ Reprodução / Pixabay / blende12  / Reprodução / Pixabay / blende12
Social 22/07/2021

Imagens mostram encontro com enorme sucuri em águas cristalinas impressionantes

Animal rendeu registros que surpreenderam as redes sociais!

Oito turistas e um guia viveram uma cena que fez sucesso nas redes sociais recentemente. Durante uma visita em um rio de água de cristalina em Jardim, no Mato Grosso do Sul, eles se depararam com uma sucuri gigante que não se importou com a presença e posou para imagens impressionantes.

De acordo com o G1, o guia turístico Luiz Eduardo Gonçalves ele avistou a cobra ao começar a descer o rio flutuando e avisou o grupo da presença do anima. Ele gravou os momentos em 15 de julho, mas apenas agora as imagens se tornaram virais.

“Passamos por ela, admiramos, registramos, aquela euforia dos visitantes (…). Obrigado mais uma vez e um privilégio poder dividir o mesmo ambiente com você. Se você ainda existe, é porque tudo está muito bem cuidado por aqui”, agradeceu o guia em seu Instagram.

Entre o início de maio ou junho as baixas temperaturas começam e os encontros com sucuris gigantes aumentam, pois nesta época as cobras buscam o sol para se aquecer.  

Elas são animais de hábitos semiaquáticos. Por isso, frequentemente é avistada descansando ou tomando sol em pedras nas margens ou em galhos sobre a água. Se se sentir assustada, ela se lançará ao rio onde é mais ágil e rápida do que na terra.

Os encontros com sucuris na natureza

É importante recordar que este tipo de encontro exige respeito aos animais selvagens e seu habitat. Um vídeo que ficou famoso até mesmo no exterior teve consequências para os envolvidos por desrespeitar estas regras.

Também conhecida como anaconda, uma sucuri de pelo menos 5 metros de comprimento foi importunada por turistas no rio Santa Maria, no Mato Grosso do Sul. As imagens foram feitas em 2014, segundo o Daily Mail.

O grupo foi multado pela polícia ambiental, pois eles chegam até mesmo a puxar a cobra pelo rabo e a perseguem.

Confira mais:

O artigo 29 da Lei de Crimes Ambientais informa que matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, é crime.