Foco

VÍDEO: Técnico de handebol é flagrado agredindo adolescente e tem prisão decretada, em MG

Francisco Mota, 32, ainda não foi achado e é considerado foragido; ele também é suspeito por abuso sexual

Ele é considerado foragido
Técnico de handebol Francisco Júnior Corrêa Mota, de 32 anos, teve a prisão decretada após aparecer em vídeo agredindo atleta adolescente, em MG (Reprodução/Redes sociais)

ANÚNCIO

A Polícia Civil procura pelo técnico de handebol Francisco Júnior Corrêa Mota, de 32 anos, que teve a prisão preventiva decretada após aparecer em um vídeo agredindo um atleta de 15 anos, na cidade de Pompéu, em Minas Gerais (veja no vídeo abaixo). Também investigado por supostos abusos sexuais, maus-tratos e violência psicológica contra jogadores adolescentes, o treinador é considerado foragido.

ANÚNCIO

O vídeo no qual o técnico aparece agredindo um atleta de 15 anos passou a circular nas redes sociais no último dia 7 de maio. A Polícia Civil destacou que ele já era investigado por outros crimes desde julho do ano passado, quando foi indiciado por injúria racial contra um atleta durante uma partida dos Jogos Escolares de Minas Gerais.

“[Depois disso] outras vítimas se encorajaram a denunciar os abusos sofridos, resultando na instauração de novo inquérito policial. Na última terça-feira [7], foi veiculado nas redes sociais vídeos do treinador agredindo os atletas, fato que causou revolta nos adolescentes, que acionaram o Conselho Tutelar e a Polícia Militar”, explicou o delegado Rodolfo Saldanha, em entrevista ao jornal “O Globo”.

“Até o momento, 14 adolescentes, todos do sexo masculino, já prestaram depoimento, relatando uma série de abusos que incluem maus-tratos, abuso sexual, agressões psicológicas, entre outros”, afirmou Saldanha.

Depois do episódio da agressão, a Justiça decretou a prisão preventiva do técnico, que atua na Associação Esportes Solidários Gustavo Elias. Os atletas foram recolhidos pelo Conselho Tutelar e depois serão levados às suas cidades.

A defesa de Mota informou, em nota, que o treinador se coloca à disposição das autoridades para esclarecer os fatos.

“O que podemos assegurar, é que Francisco Júnior, assim como seus defensores, se colocam à inteira disposição das Autoridades oficiais, para proporcionar uma regular elucidação dos fatos denunciados, destacaram os advogados Paulino Gontijo Queiroz Cançado, Alexandre Simão de Araújo e Leonardo Gontijo Azevedo.

ANÚNCIO

Repercussão

Por conta da agressão, ele foi suspenso por 60 dias pela Federação Mineira de Handebol, sendo impedido de participar de qualquer competição no estado.

“Atitudes assim não são compactuadas por esta entidade. Devemos sempre zelar pela moralidade, pela ética profissional, e princípios de cada um dos atletas, pois o meio esportivo jamais tem espaço para atitudes banais como esta que circula aos nossos olhos”, ressaltou a federação, em nota publicada nas redes sociais.

A Prefeitura de Pompéu também se manifestou por meio de nota nas redes sociais. O Poder Executivo informou que o treinador não coordena nenhum dos projetos esportivos no município.

“Ressaltamos que o Conselho Tutelar está acompanhando a ocorrência desde o recebimento da denúncia e tomando todas as medidas necessárias junto ao Ministério Público”, destacou a administração municipal.

ANÚNCIO

Recomendado:

Tags


Últimas Notícias