Covid-19. Saúde negocia 30 milhões de doses da Sputnik V e da Covaxin

Por Metro

O Ministério da Saúde informou que se reunirá amanhã com representantes do instituto russo Gamaleya, fabricante da vacina Sputnik V, e do laboratório indiano Bharat Biotech, fornecedor do imunizante Covaxin, para negociar a aquisição de 30 milhões de doses de vacinas contra a covid-19.

A decisão de avançar nas negociações ocorre após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizar o novo protocolo com simplificação do processo de autorização de uso emergencial e temporário de vacinas contra o coronavírus, dispensando a realização de estudos clínicos de fase 3 no Brasil. A expectativa da pasta é ter acesso aos imunizantes ainda neste mês.

A União Química, que já pediu o uso emergencial da Sputnik V, afirma que pode receber 10 milhões de doses prontas até março. Além disso, a distribuidora diz ter capacidade de entregar 150 milhões de unidades em 2021, somando a produção que seria feita no Brasil.

A vacina tem eficácia de 91,6% contra casos de covid-19. Os dados, avaliados por pesquisadores independentes, foram publicados terça-feira na revista científica The Lancet. A vacina já é aplicada na Rússia e em outros países, como Argentina e Argélia. A Anvisa afirmou que, em casos de imunizantes não testados no país, o prazo para analisar o uso emergencial será maior, de 30 dias.  

Loading...
Revisa el siguiente artículo