logo
Ponte da Amizade tem movimento apenas de cargas | / Christian Rizzi/FolhapressPonte da Amizade tem movimento apenas de cargas |  / Christian Rizzi/Folhapress
Foco 06/10/2020

Brasil libera de vez a entrada de estrangeiros em voos internacionais

Pandemia. Estrangeiros não precisarão mais apresentar seguro para entrar em território brasileiro por vias aéreas. Fronteiras terrestres continuam fechadas por mais 30 dias

O governo brasileiro liberou de vez a entrada de estrangeiros por meio de voos internacionais, em qualquer aeroporto do país, sem nenhuma medida específica  de proteção em relação à pandemia do novo coronavírus. Desde o dia 25 de setembro, a liberação já estava em vigor. No entanto, a partir de agora, os viajantes não precisarão mais apresentar para a companhia aérea um seguro válido no Brasil para gastos de saúde.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

O estrangeiro que chegar ao país por este modal deverá apenas atender aos requisitos migratórios adequados à sua condição, como o de portar visto de entrada quando for exigido.

Se por um lado os viajantes agora podem entrar normalmente por voos, por outro, a liberação terrestre ainda não ocorreu. A mesma portaria publicada no Diário Oficial da União prorrogou por mais 30 dias a restrição de entrada de estrangeiros por “rodovias, outros meios terrestres ou por transporte aquaviário”.

Na sexta-feira passada, houve um início de tratativas entre os governos do Brasil e do Paraguai para a reabertura da Ponte da Amizade, uma das principais fronteiras do território brasileiro. A expectativa de ambas as partes é liberar a circulação na ponte até o dia 15 deste mês, mesmo com a restrição de entrada prorrogada ontem.

Desde 18 de março, só é permitida a passagem no local de caminhões que trabalham com transporte de cargas. Além disso, há outras exceções, como para imigrante com residência no território brasileiro e profissional estrangeiro em missão a serviço de organismos internacionais, como a ONU (Organização das Nações Unidas).

Antes do início da pandemia, a Ponte da Amizade recebia o tráfego de 100 mil pessoas e 40 mil veículos diariamente.