Eleição municipal em outubro seria inviável, diz ministro Marco Aurélio Mello

Por Rádio Bandeirantes

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello diz não ver “clima” para o país tocar o calendário eleitoral. Na avaliação dele, a indefinição causada pela pandemia, hoje, tornaria inviável a votação em outubro, como está previsto.

Ministro substituto do TSE, Marco Aurélio Mello foi entrevistado com exclusividade por José Luiz Datena na Rádio Bandeirantes nesta segunda-feira (20). Pela mesma razão, ele sinalizou estar de acordo com a ordem da Justiça Federal de São Paulo para adiar o Enem. “Quando vamos suplantar essa crise? Eu não vejo como marcar-se data para acontecimentos sem antes suplantar-se essa crise. Eu penso que por hora não temos condições.”

Na entrevista a José Luiz Datena na Rádio Bandeirantes, Marco Aurélio Mello comentou as mais recentes declarações de Jair Bolsonaro. Para o ministro do Supremo, o presidente errou ao ir domingo (19) a um ato contra instituições da República, mas evoluiu ao moderar o tom já na manhã seguinte.

Veja também:
Pesquisa sugere que novo coronavírus fica no ar por até 16h
Maior traficante do Brasil é preso em Moçambique e repatriado

“Além do que ele veiculou, a leitura da presença dele foi horrível. Nós ficamos contentes com a evolução do presidente. Ele deve transferir à sociedade segurança.”

Ainda na visão do ministro Marco Aurélio Mello, o momento não é de conflito e, bem ao contrário disso, exige união. “A ocasião exige somatório de forças. Além da crise sanitária, temos uma crise também seríssima, que é a crise social. O mercado informal deixou de existir e as pessoas não têm mais como colocar sobre a mesa alimentação do dia.”

Para enfrentar a crise, Marco Aurélio Mello recomenda aos homens públicos o exercício de virtudes como “compreensão, temperança e compaixão”.

Ouça a entrevista:

Loading...
Revisa el siguiente artículo