Foco

Após ameaça de fechar, GM anuncia investimento R$ 10 bilhões em fábricas de SP

A General Motors colocou fim na terça-feira (19) à possibilidade de deixar o país. O presidente da montadora na América Latina, Carlos Zarlenga, anunciou investimento de R$ 10 bilhões nas fábricas que mantém no estado de São Paulo, em São Caetano e São José dos Campos. O aporte será destinado à modernização das unidades para a produção de novos modelos. A montadora norte-americana estima geração de 1.200 empregos, 400 diretos e 800 indiretos, além da preservação dos 15 mil já existentes.

A GM divulgou comunicado interno em janeiro informando aos funcionários que pretendia fechar as fábricas no país se não retomasse a lucratividade na produção. Estado, prefeituras e sindicatos passaram então a negociar condições para a permanência.“Hoje é um dia que pensei que não chegaria”, disse Zarlenga antes de anunciar os investimentos.

Veja também:
Câmara dos Deputados presta homenagem a mulheres defensoras dos direitos humanos
Justiça decreta que terceiro suspeito do massacre de Suzano seja internado na Fundação Casa

Para atender a demanda da montadora, o governo do estado lançou no começo do mês o programa IncentivAuto, que concederá descontos de até 25% do ICMS devido nos produtos fabricados em São Paulo para empresas que investirem a partir de R$ 1 bilhão, com geração de no mínimo 400 vagas.

Outras montadoras anunciaram recentemente investimentos na região. Em 2017, a Volkswagen divulgou aporte de R$ 7 bilhões até 2020 e a Mercedes Benz, R$ 2,4 bilhões no mesmo período. O governador João Doria (PSDB) disse na terça que o benefício não atenderá essas empresas. “Se uma indústria automobilística anuncia que vai fazer R$ 1 bilhão de investimento a partir de agora, também tem direito.”

A GM é líder na venda de veículos há três anos no país. Além das fábricas de São Caetano e São José dos Campos, mantém unidades em Gravataí (RS), Joinville (SC) e um centro de provas em Sorocaba (SP).

O presidente da montadora na América Latina não quis detalhar quais serão os novos veículos nem o valor destinado para cada fábrica. “Vão ser grandes produtos que o consumidor vai gostar muito. É o que posso divulgar. A gente não divulga número específico, mas são partes significativas nas duas plantas (São Caetano e São José).”

Isenção

O vice-governador Rodrigo Garcia disse que o IncentivAuto beneficia empresas que já estão no estado e por isso não pode ser visto como guerra fiscal. Ele também negou que haja impacto no orçamento. “Não estamos abrindo mão de receita. Estamos produzindo investimentos e gerando receita que não existia e desta receita abrindo mão de parte dela em desconto.”

Na terça-feira, a Prefeitura de São Caetano enviou para a Câmara pacote de descontos fiscais para a General Motors válido por oito anos. O projeto que cria o ProAuto (Programa de Incentivo à Indústria Automobilística) prevê isenção de pagamento de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), redução de ISS (de 5% para 2%) e tarifa diferenciada de água e esgoto, mediante novos investimentos de montadoras.

A GM será a única beneficiada pelo projeto, já que a cidade não possui outras empresas do setor. A prefeitura estima deixar de arrecadar R$ 100 milhões até 2027 com a renúncia fiscal. No período, a expectativa é obter retorno de R$ 1,1 bilhão no incremento do IPM (Índice de Participação dos Municípios) com os investimentos anunciados na terça.

“É uma data histórica depois de 94 dias angustiantes. Não estamos abrindo mão (de impostos), estamos investindo de forma antecipada.”, disse o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB). A previsão é que o projeto seja avaliado pelos vereadores na próxima semana. A GM foi a primeira montadora a se instalar no ABC, em 1930.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos