Tabagismo. Em 8 anos, fumo passivo no trabalho em SP cai pela metade

Por Metro World News

O percentual de fumantes passivos no ambiente de trabalho na cidade de São Paulo caiu quase pela metade em oito anos, passando de 12% de adultos que declararam trabalhar com um fumante em 2009 para 6,2% em 2017. Nos domicílios, a queda foi menor: saiu de 12,6% em 2009 para 8,5% no ano passado.

O dado é parte de pesquisa divulgada ontem pelo Ministério da Saúde em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Fumo. Os números são da Vigitel, pesquisa feita por telefone pelo governo para medir fatores de risco à saúde na população. Em 2017 foram entrevistadas 53.034 pessoas.

A queda é semelhante à verificada no país. O percentual nacional de adultos que declaram ter pelo menos um colega fumante no mesmo espaço laboral caiu de 12,1% em 2009 para 6,7% em 2017.

Desde 2009 a pasta mede o percentual de fumantes passivos no trabalho e em casa. “Esse impacto foi verificado após a regulamentação da lei que proíbe o ato de fumar cigarros e outros produtos em locais fechados e de uso coletivo [lei 12.546/2011, a Lei Antifumo federal]”, avalia Maria de Fátima Marinho, do Ministério da Saúde.

Segundo Fátima, o ministério defende contínuos reajustes no preço do tabaco.
“O aumento no preço tem impacto direto na redução de fumantes no país”, afirma.

Loading...
Revisa el siguiente artículo