Foco

Homens armados usaram querosene e tocha para incendiar pontos de ônibus em Curitiba

Dois homens armados incendiaram duas estações-tubo no bairro Alto Boqueirão, em Curitiba, na madrugada desta terça-feira. O atentado foi por volta das 3h30 e destruiu os pontos Euclides da Cunha, nos dois sentidos da Rua Wilson Dacheux Pereira, por onde passa o ônibus da linha Circular Sul. Eles não roubaram nada e ninguém ficou ferido. As estações-tubo voltaram a funcionar por volta das 17h30.

Havia apenas uma pessoa em uma das estações na hora do atentado, um rapaz que limpava os equipamentos. Os dois homens tentaram amarrar as mãos do rapaz e queriam que ele ficasse dentro da estação. Ele conseguiu fugir. As estações foram queimadas com querosene e o Corpo de Bombeiros foi chamado para apagar o fogo. Os autores do incêndio estariam com uma tocha.

Segundo a Urbs, que gerencia o sistema de transporte coletivo na capital, o incêndio danificou a parte elétrica, as catracas, os pisos e vidros dos equipamentos. O prejuízo ainda não foi calculado. Pela manhã e durante parte da tarde, os passageiros que utilizam a linha Circular Sul tiveram de usar estações próximas para embarcar, a cerca de 1 km de distância cada.

“Foi a primeira vez que isso aconteceu o sistema”, disse o diretor do Sindimoc (Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba) Dário Pereira. Segundo ele, os dois homens avisaram ao funcionário da limpeza que esse era “só o começo” e que eles pretendem incendiar outras estações na cidade.

“Eles deram voz de assalto, em seguida tentaram amarrar o menino, que se debateu e conseguiu fugir”, relatou Pereira. “Eles estavam armados, com uma pistola e um revólver, e disseram que era só o começo. Foi premeditado, estavam com uma tocha”.

O caso está sendo investigado pelo 7º Distrito Policial de Curitiba, que já teria dois suspeitos. As câmeras da estação-tubo estavam desativadas na hora do atentado.

Segundo a Urbs, das 772 câmeras de segurança instaladas em estações, cruzamentos e terminais, 38% estão danificadas, a maioiria por causa de atos de vandalismo. O Sindimoc já contabilizou 215 arrastões em ônibus e estações-tubo neste ano, mas só 67 teriam sido comunicados à policia.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos