Foco

Busca por vacina contra febre amarela cresce no ABC após alerta na capital

Filas foram vistas nas unidades de saúde da região

A morte recente de macacos no Horto Florestal na zona norte de São Paulo, um deles confirmado pelo vírus da febre amarela, repercutiu no ABC. Mesmo sem a região estar classificada na área de risco da doença, o medo  ou desconfiança levou usuários aos postos de saúde da rede básica em busca de vacinas. Ontem, entre a manhã e o início da tarde, o Metro Jornal circulou por Santo André, São Bernardo e São Caetano e encontrou filas para imunização.

Algumas unidades básicas, por exemplo, além de terem dias específicos para vacinação, distribuem senhas. São os  casos dos equipamentos do Ferrazópolis e da Vila Dayse, em São Bernardo, que ofertam, cada um, 120 doses por dia. Em Santo André, são 150 diárias – em três pontos da cidade.

“Peguei a senha 92”, diz o serralheiro Wanderley Faria, 43 anos, que tomou a vacina contra a doença  na unidade do Ferrazópolis. “Vou para a cidade de Pingo D`Água, em Minas Gerais, no feriado de 20 de novembro. Quero me prevenir”, afirma Faria, acompanhado das filhas gêmeas Jade e Jordana, 1 ano e 9 meses.

Na mesma unidade, por volta das 11h, das 120 senhas, restavam apenas duas para distribuição – vários usuários aguardavam para tomar a dose. A reportagem apurou que nos últimos dias a procura cresceu.
Antes do ocorrido em São Paulo, a rotina diária era de 20 a 25 pessoas à procura da imunização.

Em São Caetano, na enfermaria do Atende Fácil, o auxiliar-administrativo Luiz dos Santos Neto, 34 anos, de São Bernardo, tomou a vacina. “Faço trilha de moto na serra da Cantareira e região. Ando no meio do foco. Não dá para arriscar”, diz.

Dose é só para quem for viajar
“Quem não vai viajar para áreas de risco, não há necessidade de se vacinar contra a febre amarela”, reforça o infectologista Hélio Vasconcellos Lopes.

O médico ressalta a necessidade da imunização, neste momento, apenas da população residente no entorno da área do Horto Florestal, na capital.

Apesar da recomendação técnica, doses estavam em falta há três dias em clínica particular de São Bernardo.

Pai convoca família pelo ‘Zap’
O alerta para a imunização contra a febre amarela chegou até mesmo pelo grupo da família do Whatsapp. Assim, o clã dos Cinachi, moradores no Jardim São Caetano, em São Caetano, se dirigiu ontem ao Centro de Saúde Dr. Manoel Augusto Pirajá.

“Meu marido é desesperado. Ele diz que quando o governo começa a veicular, significa que a coisa já está enorme. Ele mandou mensagem direto para gente. Por isso estamos aqui”, conta, de forma descontraída, a servidora pública Suzane Luisa de Oliveira, 52 anos.

Ao lado dela, a filha Deborah, 22, o filho Mikael, 26, e o marido, o engenheiro Lusanselmo, 56 – todos Cinachi.

Além do medo por conta das notícias, Suzane disse que a família tem plano de viagem para o próximo ano em local que necessita da imunização contra a doença.

Na unidade, outras quatro pessoas aguardavam para tomar a dose – três deles têm familiares em Atibaia, região com casos. A prefeitura, por nota, diz que 215 doses foram aplicadas de segunda-feira até as 14h de anteontem.

Saiba onde se vacinar

Santo André
US Centro (rua Campos Sales, 575). De segunda a sexta-feira, das 13h às 17h – 150 senhas por dia.
US Utinga (alameda México, 120). De segunda a sexta-feira, das 13h às 17h – 150 senhas por dia.
US Vila Luzita (avenida Dom Pedro 1º, 4.197). De segunda a sexta-feira, das 13h às 17h – 150 senhas por dia.

São Bernardo
UBS Ferrazópolis (avenida Fernando Ferrari, 449). Segunda e quinta-feira, a partir das 7h – 120 senhas por dia.
UBS Vila Dayse (rua Vicente de Carvalho, 255). Terça-feira, a partir das 7h – 120 senhas por dia.

São Caetano
Centro de Saúde (rua Sen. Roberto Simonsen, 282). De segunda à sexta-feira, das 7h às 17h. Atende Fácil (rua Major Carlo Del Prete, 651). De segunda a sexta, das 8h às 16h, e sábados, das 8h às 12h.)

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos