Foco

Secretarias serão reduzidas a menos da metade, diz Crivella

Crivella nos braços do povo: prefeito eleito cumprimentou e tirou fotos com eleitores em Santa Cruz, na zona oeste | Divulgação
Crivella nos braços do povo: prefeito eleito cumprimentou e tirou fotos com eleitores em Santa Cruz, na zona oeste | Divulgação

Um dia após ser eleito novo prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB) foi a bairros das zonas oeste e norte para agradecer ao eleitorado. Durante caminhada pelo calçadão de Santa Cruz, área onde obteve quase 80% dos votos, o atual senador recebeu cumprimentos e tirou fotos com eleitores. Ao falar sobre sua futura gestão, Crivella não adiantou nomes de seu secretariado, mas disse que reduzirá o número de pastas, sem especificar quais vão deixar de existir ou serão incorporadas a outras.

“Será uma caça aos valores na hora de montar o secretariado, que deverá ser muito enxuto. O povo requer um governo austero. Vivemos um ajuste fiscal. Portanto, todos precisam compreender que o número de secretarias será menos da metade”, afirmou.

Recomendados

Depois, em entrevista à TV Record, o senador falou sobre o perfil de seu secretariado: “Vou montar um governo ficha limpa. Pode ficar tranquilo, povo do Rio. Serei vigilante”. Apesar de garantir que o secretariado será técnico, ele não comentou sobre os nomes de aliados que circulam nos bastidores para ocupar as secretarias, como Indio da Costa (PSD), Carlos Osorio (PSDB) e Flávio Bolsonaro (PSC) – derrotados no 1o turno e que se aliaram a Crivella no 2o – e a deputada federal Clarissa Garotinho (PR). Todos  subiram em seu palanque na festa de comemoração da vitória, no domingo à noite.

Crivella ressaltou que  suas primeiras medidas serão na saúde, que reforçará o orçamento da pasta com verba do urbanismo e prometeu realizar mutirões de cirurgias, destacando as de catarata: “Hoje, 11 mil pessoas esperam consulta oftalmológica e umas 4 mil aguardam cirurgia de catarata. Sem dúvidas, é a primeira preocupação, a primeira coisa que eu vou fazer.”

Rebatendo as críticas a um possível conservadorismo de seu mandato, o senador disse que assuntos como legalização do aborto, das drogas e a discussão de gênero nas escolas são questões de princípios: “O que o povo do Rio determinou é que as pessoas são contra a liberação das drogas, a legalização do aborto e a discussão de ideologia de gênero nas escolas. Não se trata de conservadorismo. São valores, princípios que emanam do povo, e o político precisa defendê-los.”

Eduardo Paes se coloca à disposição do sucessor

Sucessor de Eduardo Paes na Prefeitura do Rio, Marcelo Crivella (PRB) afirmou ontem que recebeu ligação do atual prefeito, na noite de domingo, para parabenizar a sua vitória. O senador contou que Paes disse estar com “ciúmes” de sua eleição, termo utilizado pelo peemedebista como referência ao seu desejo de continuar governando o município, que, segundo ele, “é a melhor coisa que existe”.

Crivella ainda afirmou que  Paes se colocou a sua disposição para que a transição de governo seja sólida e tranquila: “O Eduardo foi muito generoso. Passada a eleição, aquele que tem a índole, a natureza e a vocação da política sabe que é preciso de paz para governar. E a paz é o fim de todas as ofensas, de todas as injúrias e todas as calúnias. O Rio precisa ter união, porque é da união que vem a força”, disse o prefeito eleito.

Há uma semana, Paes usou uma de suas redes sociais para criticar a campanha de Crivella, a qual classificou como preconceituosa.

Pela 6a vez, Justiça obriga prefeitura a climatizar 100% da frota de ônibus

O Tribunal de Justiça do Rio manteve pela sexta vez a decisão que obriga a prefeitura a climatizar 100% da frota de ônibus até o fim do ano. Ao verificar indícios de que o município não conseguirá cumprir a meta de colocar ar-condicionado em 3.990 veículos, o Juízo da 8ª Vara de Fazenda Pública da Capital determinou que seja aplicada multa de R$ 20 mil por cada ônibus não climatizado.

Segundo o Ministério Público, que ajuizou a ação através do Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente, a administração já foi intimada da decisão. De acordo com o órgão, só 278 ônibus climatizados foram adquiridos neste ano, quantidade insuficiente até mesmo para compensar o número de veículos não refrigerados em 2015.

A Justiça ainda determinou ao município a comprovação do cumprimento da meta em relação aos meses de julho, agosto e setembro, sendo que o prazo para isso vencerá na próxima segunda-feira. Procurada, a prefeitura não se manifestou.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos