Para pais e filhos: como aprender a se controlar frente a brigas e outras situações de conflito

Respirar, contar até dez e 'sair de cena' são algumas sugestões do que fazer para manter o autocontrole e assim viver melhor; criar um espaço para se acalmar e ensinar as crianças a fazerem o mesmo também é importante

Por Canguru News

Aprender a se controlar e se autorregular diante de uma briga ou situações de conflito é fundamental para que possamos nos sentir bem e viver melhor. Mas nem sempre é fácil ter esse domínio. "Estar ciente dos comportamentos que nos “tiram do sério” pode ser um primeiro passo para que nos sintamos melhor", afirma Bete P. Rodrigues, professora e consultora educacional, especialista em Disciplina Positiva – método que propõe educar as crianças de forma respeitosa e encorajadora. Ela também diz ser importante planejar com antecedência como agir, quando algo estressante acontecer – em vez de simplesmente REagir com um grito ou sermão.

"Já que a vida nos forçou essa pausa, que ela seja então uma pausa positiva, cheia de aprendizado, e não um “cantinho do pensamento”, onde a última coisa que se faz é refletir e aprender", declara Bete. Ela recorda uma famosa frase da americana Jane Nelsen, psicóloga, doutora em educação e autora de mais de 30 livros sobre Disciplina Positiva: “De onde tiramos a ideia absurda que para fazer uma criança agir melhor precisamos antes fazê-la se sentir pior?”. Fazer o outro se sentir pior parece funcionar na hora (gritar, brigar, colocar de castigo etc.), mas em longo prazo não , as crianças voltam a ter aquele comportamento desafiador, explica a especialista.

Leia também: Pais cansados e sobrecarregados na quarentena: o que fazer?

O que os pais podem fazer para aprender a se controlar :

  • Contar até 10, 20, 50, 100… mentalmente ou em voz alta
  • Tentar respirar fundo em sequência algumas vezes. Realizar essa prática diariamente ajuda a melhorar a oxigenação do cérebro e relaxar
    corpo e mente
  • Beber água e assim dar um tempo para que a raiva passe
  • Mudar de ambiente (sair de cena) e avisar às pessoas pessoas envolvidas no conflito o que você vai fazer. Você pode dizer algo como: “Estou muito irritado e preciso me acalmar antes de tomar qualquer decisão. Assim que estiver melhor, retomamos esse assunto.”
  • Fazer qualquer coisa que faça bem (rezar, ouvir música, dançar etc.)– lembre-se de avisar aos outros.

Para a criança aprender a se controlar, vale ensiná-la a criar um lugar especial. "É importante que ela participe da criação desse lugar, faça a decoração e mesmo dê um nome para ele, para que se sinta mais motivadas a utilizar e se beneficiar desse espaço", explica Bete.

Ela ressalta que esse espaço se diferencia do "cantinho do pensamento" porque são as crianças que idealizam, decoram e nomeiam esse local, que pode ter objetos como um travesseiro, bichinhos de pelúcia, papel e lápis colorido para desenhar e livros. A especialista diz que não se trata de um espaço para o qual a criança vai obrigada – e, sim, por conta própria. Lembrando, porém que as crianças aprendem pelo exemplo, então, vale os adultos pensarem em criar o seu espaço também. "Feita essa pausa positiva todos poderão conversar respeitosamente sobre o que aconteceu, aprender com seus erros e focar em soluções que sejam respeitosas para todos", conclui a Bete.

Leia também: Cantinho do pensamento: será que funciona?

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. 

Loading...
Revisa el siguiente artículo