Motor

Nova versão do Tracker tem motor 1.4 turbo, que garante mais agressividade na estrada

A primeira impressão do novo Tracker 2017 da Chevrolet é de admiração. Grande,  robusto e com design  agressivo, mas sofisticado – graças à sua inspiração maior: o Cruze – , o SUV nos faz ter vontade de assumir o volante e testar suas possibilidades. E foi o que o Metro Jornal fez ao pegar a versão LTZ, com motor 1.4 turbo de 153 cv e 24,5 kgfm de torque, durante um test-drive. O modelo também vem na versão LT, mesma motorização, mas com diferenciação nos itens de série.

Na primeira aceleração, a nova configuração turbinada com injeção direta de combustível entrega performance e força rapidamente. Bem diferente do modelo lançado em 2015, equipado com motor 1.8 Ecotec Flex de 144 cv. Agora, o Tracker embala mais rápido.

As transições do câmbio automático são leves e ágeis se pressionadas pelo motorista. O rendimento não deixa a desejar também no modo manual, com as trocas de marchas na lateral da própria alavanca. Segundo a montadora, o novo Tracker chega de 0 a 100km/h em 9,4s, dois a menos que seu modelo anterior.

O consumo durante o test-drive também foi satisfatório. Entre os testes de peso, rampas e trânsito urbano o SUV abastecido com gasolina chegou a fazer cerca de 8,4 km/l, enquanto na estrada essa mesma média chegou a 10,8 km/l.

Já segundo o Inmetro, que aplicou nota máxima em eficiência energética ao veículo, em condições normais as médias com gasolina são de 11,7 km/l na estrada e 10,6 km/l na cidade. Se abastecido com etanol, o rendimento cai para 8,2 km/l e 7,3 km/l, respectivamente. Diferentemente do modelo de 2015, o SUV é equipado com o sistema Stop/Start  do veículo: ele desliga o motor temporariamente durante as paradas, o que o torna até 15% mais econômico.

Tecnologias
O novo Tracker é um agrado para quem é fã de tecnologia. Além do computador de bordo sofisticado, o veículo possui também alertas luminosos de ponto cego nos retrovisores, camera de ré, chave eletrônica que funciona por meio de sensor de aproximação, tela de LCD de 7” com entradas USB e conexão Bluetooth  e teto solar elétrico, entre outras.

A cereja do bolo, no entanto, é o sistema MyLink associado à tecnologia OnStar. Com um toque no botão localizado no retrovisor interno do veículo, o motorista fica em contato com um atendente como se estivesse em um telefonema. Alertas de movimento via aplicativo, navegação por setas tipo GPS e até marcação de consultas médicas ou reservas de restaurantes são alguns dos serviços oferecidos pela tecnologia.

Entre tantos destaques, apenas o porta-malas do SUV deixou a desejar. Com 4,2 metros de comprimento e 2,5m de distância entre eixos, o espaço para bagagens está reduzido a 306 litros. Mas, segundo a montadora, a capacidade chega até 735 litros com o banco traseiro rebatido.

Ficha técnica
Modelo 2017 LTZ com Motor 1.4 Turbo Ecotec Flex

Preço:
O modelo LTZ custa R$ 93.490. Sua versão de entrada, o LT, sai a partir de R$ 82.990

O que oferece:
Retrovisores com alerta de ponto cego, câmera de ré com alerta de movimentação, faróis e lanternas com LED, teto solar elétrico e chave eletrônica com sensor de presença, entre outros

Consumo:
Abastecido a gasolina, o Tracker chega a 150CV e faz 11,7 km/l na estrada e 10,6 km/l na cidade. No etanol, o rendimento cai para 8,2 km/l e 7,3 km/l, respectivamente. Porém, ganha mais potência e pode chegar até 153 cv*

Tecnologia
Destaque para o sistema MyLink associado à OnStar

Porta-malas
306l a 735l (com o banco traseiro rebatido)

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos