Esporte

Boa Esporte encara chegada de Bruno como ‘normal’, revela capitão

A volta do goleiro Bruno Fernandes ao futebol causou e ainda causa um grande alvoroço. Apesar de o Boa Esporte ter perdido patrocínio máster e a firma de material esportivo ter antecipado o encerramento do contrato por conta desse fato, o elenco do time de Varginha se mostra satisfeito com o novo reforço.

ANÚNCIO

“A chegada do Bruno está sendo normal pra gente. O grupo está tratando como jogador comum, como qualquer outro que é contratado. Recebemos bem e não seria diferente com ele, independente do que ele fez na vida pessoal. Dentro de campo vamos respeitar, ajudar e cobrar um do outro como fazemos”, disse Radamés em entrevista exclusiva ao Portal da Band.

Condenado a 22 anos e três meses pela morte de Eliza Samudio, Bruno deixou a prisão na semana passada e aguarda em liberdade enquanto o recurso contra sua condenação não é julgado em segunda instância.

Recomendados

O goleiro foi apresentado oficialmente como reforço do Boa Esporte na segunda-feira e revelou que as pessoas “corriam” dele.

Pelo pouco tempo de contato, o volante garante que o goleiro está bem calmo no dia a dia. “Ele se mostra tranquilo, treinando bem. Ele tem conversado mais com os goleiros. Isso é normal, quando se chega a um novo lugar, a pessoa não conhece, fica inibida, mais introvertida”, observou.

O capitão do Boa Esporte destacou que Bruno teve um bate papo rápido e revelou o teor da conversa. “Ele me disse que está com muita vontade de recomeçar, feliz pela nova oportunidade. Deixou claro que não vai decepcionar, que chegou a fim de ajudar, e que está focado”.

Demora para estreia

Segundo a comissão técnica da equipe mineira, o goleiro deve entrar em campo em dois meses para recuperar a forma física. Radamés não vê nenhum problema nesse sentido.

“O Bruno deve ter conversado com a comissão técnica e concordado. O condicionamento físico depende de cada jogador: uns demoram mais dias e outros menos. Melhor do que ninguém, ele vai saber a hora certa de voltar e entrar em campo”.

O capitão não acredita que a chegada de Bruno vai fazer com que a torcida vire à casaca. “Não creio que a torcida jogue contra, tanto é que outro dia fomos ao estádio, encontramos os mesmos torcedores e nada demais aconteceu”, lembrou. “Vamos ver quando acontecerem os jogos como vai acontecer”.

O experiente volante também se mostra tranquilo com o fato de alguns torcedores fazerem protestos pela cidade. “O clube que tem que ver isso. Nós jogadores somos empregados e temos que trabalhar. Entrou em campo, temos que fazer o nosso melhor. O que acontece fora é de responsabilidade da diretoria, do presidente. Se contratou sabe o que está fazendo”, destacou.

O fato de o patrocinador e a empresa de material esportivo terem se desligado do clube após a chegada de Bruno, não afeta o elenco, garantiu Radamés. “Esse problema compete apenas a diretoria e a presidência resolver”, finalizou.

Tags

Últimas Notícias