Entretenimento

Você sabia? Série ‘True Detective’ da HBO tem dois episódios inspirados em casos reais nunca resolvidos

A série retornou à HBO em 15 de janeiro passado, desta vez com Jodie Foster

True Detective: Tierra Nocturna

Cinco anos depois do lançamento de sua terceira temporada, ‘True Detective’ retornou à HBO em 15 de janeiro com sua quarta temporada. Desta vez, a trama se passa nas paisagens frias do Alasca, seguindo a investigação do desaparecimento de oito homens que trabalham em pesquisas científicas na Estação de Pesquisa Ártica Tsalal, liderada pelas detetives Liz Danvers (interpretada por Jodie Foster) e Evangeline Navarro (interpretada por Kali Reis). Após a estreia do primeiro episódio, que foi enigmático, muitos espectadores se perguntam se a série é baseada em fatos reais.

Embora a temporada quatro de ‘True Detective’ não adira estritamente a uma história real, encontra uma sólida inspiração em casos que realmente aconteceram. A criadora e diretora da série, Issa López, que escreveu e dirigiu os seis episódios desta nova temporada, revelou à ‘Vanity Fair’ que se baseou em dois mistérios autênticos: o caso do Mary Celeste em 1872 e o incidente do Passo Dyatlov em 1952.

Quais são os casos reais’?

Em novembro de 1872, o Mary Celeste, um navio americano de 282 toneladas, partiu de Nova York com destino à Itália. A tripulação incluía o capitão, sua esposa, sua filha de 2 anos e mais oito membros.

Menos de um mês depois, a tripulação de um navio britânico que passava pela área encontrou o Mary Celeste à deriva perto de Portugal, mas não havia ninguém a bordo. Apesar de faltar um bote salva-vidas e a bodega estar inundada, o navio, que levava alimentos e água para seis meses, não apresentava danos evidentes. O mistério do desaparecimento de todos os ocupantes continua sem solução, e as teorias sobre o que aconteceu variam desde um possível motim até um ataque de piratas.

Outro dos casos ocorreu em 1959, quando nove excursionistas russos abandonaram seu acampamento no Passo Dyatlov e congelaram até a morte nas Montanhas Urais. Ao descobrir os corpos, notou-se que alguns estavam descalços e quase nus, mas ninguém pôde determinar a causa de sua morte. O caso permanece sem solução e as teorias vão desde eventos sobrenaturais até uma suposta conspiração do governo russo. Embora pesquisas recentes sugiram que eles possam ter sido vítimas de uma avalanche, Issa López não apoia essa hipótese.

“Acredito que uma avalanche não explica muitos dos detalhes. Mesmo que fosse assim, prefiro a resposta estranha e incompleta. Acredito que há uma fascinação pelos mistérios que ainda faltam algumas peças, e que nos obcecam, nos irritam e não nos permitem parar de pensar neles”, López apontou que, da mesma forma, “nem todas as perguntas são esclarecidas no final”.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos