Entretenimento

Arte e tecnologia se unem em festival na Paulista

Tradicional no calendário da cidade, o Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE) abre nesta terça-feira (12) sua 17ª edição prometendo para o público ainda mais imersão e interação nos mundos artístico e tecnológico.

Com o tema “Venha passar do limite”, o evento gratuito que fica em cartaz até 28 de agosto traz 331 trabalhos divididos entre mostra de instalações interativas e obras de realidade virtual com uso de óculos 3D, performance de obras sonoras e audiovisuais (Hopersônica), animações e jogos (Anima+Games), videoarte e net arte, além do FILE Led Show 2016, que vai apresentar seis obras de videoarte sensorial na fachada do prédio da Fiesp.

Leia também:
Exposição traça panorama dos quadrinhos italianos desde 1950
Coleção de obras estreladas ganha exposição na Pinacoteca

Recomendados

“Vivemos uma arte contemporânea que está totalmente relacionada com a tecnologia, não dá mais para separar uma coisa da outra”, explica Ricardo Barreto, que é um dos idealizadores e curadores da FILE. “Por conta disso, a proposta deste ano é mostrar essa conexão, essa combinação do espaço real com o virtual para experimentar a sensação de ir além do limite, de transgredir fronteiras”.

Ao todo, 339 artistas vindos de 31 países participam da FILE trazendo obras e conceitos totalmente diferentes um do outro.

“É sempre um desafio reunir tantos trabalhos, porque essa é uma área que está mudando toda hora, cada vez com novas propostas. Mas acho que é exatamente esse alinhamento de temas que faz o festival ser tão rico. Acho que o público vai adorar”, diz Ricardo.

No ano passado, o evento recebeu 70.769 visitantes e a expectativa é de que esse número aumente impulsionado pelo período de férias escolares e a mescla de experimentações.

Pela primeira vez, a FILE traz uma criação animatrônica, ou seja um boneco que ganhou vida utilizando recursos da eletrônica e da robótica. Criada pelo taiwanês Ting-Tong Chang, a escultura autômata hiper-realista falante se chama Robinson (na foto) e tem como meta investigar a história desse tipo de máquina na Europa como um meio de explorar visões utópicas.

Serviço:
Na Galeria de Arte do SESI-SP | Centro Cultural Fiesp (av. Paulista, 1.313, Bela Vista, tel.: 3528-2000). Abre nesta terça-feira (12). Diariamente, das 10h às 20h (entrada até às 19h40). Grátis. Até 28/8.

Conheça três destaques da exposição:

 

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos