Colunistas

O Dia Nacional da Síndrome de Down

El próximo dia 21, comemoraremos o Dia Nacional da Síndrome de Down. A síndrome é consequência de alteração genética no cromossomo 21, fator que causa as alterações clínicas características dessa enfermidade. Essa síndrome ocorre, em média, em um a cada 800 nascimentos e tem maiores chances de ocorrer em mulheres que engravidam quando em idades mais avançadas. Em uma célula normal da espécie humana existem 46 cromossomos divididos em 23 pares. A pessoa que tem Síndrome de Down possui 47 cromossomos, sendo que o cromossomo extra é ligado ao par 21.

Riscos e diagnóstico

Um dado que levanta a suspeita é a idade materna, já que 60% dos casos são observados em mulheres com mais de 30 anos. A probabilidade com mulheres mais novas é de aproximadamente 1 para cada 3 mil gestações. Em mulheres entre 30 e 35 anos, o risco sobe para 1 em cada 600. Já em mulheres com mais de 45 anos, ocorre um caso de Síndrome de Down para cada 50 gestações. O diagnóstico é feito através do cariótipo, que é a representação do conjunto de cromossomos de uma célula. Também é possível realizá-lo antes do nascimento, depois da décima primeira semana de vida intrauterina, utilizando-se sangue materno.

Não ao preconceito!

A data visa chamar a atenção especialmente das pessoas pouco informadas sobre as capacidades das pessoas com a Síndrome de Down. Elas possuem tantas outras características quanto os demais seres humanos, ou seja, a síndrome não as define. Olhe para o ser humano, não para a doença! Fique bem, cuide-se bem!

Professor de Medicina e presidente do Instituto Vital Brazil, Dr. Edimilson Migowski escreve às quartas-feiras.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos