Colunistas

Diego Aguirre diferente

reche-3O técnico uruguaio é boa gente. Depois do jogo de quarta estava comedido. Vai provar se é bom treinador com o andar da carruagem. Na nossa profissão, pela convivência, torcemos mais por pessoas do que por times. Torço por ele. Estar ganhando neste momento pode significar pouco. Fossati foi até uma semifinal de Libertadores e caiu. Nunca convenceu. O time era previsível e ia mal em outras duas competições. Perdeu o Gauchão para o Grêmio de Silas, e estava na rabeira do Brasileirão.  Roth foi campeão treinando quatro jogos. Até hoje Fossati fica mordido com isso. Nunca corrigiu os erros e não mediu o que poderia acontecer. O Inter tem que melhorar. Tem que acertar a marcação. Contra Shakhtar, São José, The Strongest e Emelec, o Inter teve muita dificuldade. Está indo, mas tem que evoluir muito. Os retranqueiros de carteirinha estão de cabelo em pé. Eu acredito que dará certo. Mas tem que dar tempo.

 

Aldeia – O Rio Grande do Sul é realmente único. Um faz o outro repete. O Inter perdeu seu vice, por força maior, e colocou o presidente no vestiário. Neste momento, Fábio Koff não poderá mais continuar, e o Grêmio o que faz? Repete o rival e improvisa Romildo Bolzan Júnior. Acho que tudo pode funcionar, se ambos se dedicarem à causa. Futebol é muito neurótico e obsessivo e se não ficar muito antenado não vai. O Grêmio, no entanto, vai escolher um novo vice. Ao contrário do que muitos falam, eu entendo Koff. Mostrou força derrotando Odone e Bellini nas últimas eleições e muitas vezes é execrado por isso. Alguns falam em estelionato eleitoral. Eu prefiro dizer que a família tem mesmo que estar acima de tudo. Koff entrou no Grêmio quando quis e saiu na hora que bem entendeu e precisava. Isso é para poucos.

 

Grupo forte – Aos poucos estamos vendo que o grupo do Inter não é tão fácil. Pelo contrário. O Emelec mostrou muitas virtudes. E teremos um grande jogo no Equador. Partida de difícil prognóstico. O Inter evoluirá e se consertar a marcação pode ir longe na Libertadores. E em casa, o torcedor vai fazer sempre a diferença. Ajudou a virar na quarta.

 

Nilmar – Se alguém quiser saber o tamanho da competência de um centroavante pergunte para os zagueiros adversários. Um dos mais chatos para marcar é Nilmar. Atacante perigoso por excelência, Nilmar é símbolo de qualidade. Concordo com Aguirre, se ele fizer os gols mais importantes da Libertadores, não precisa marcar muitos no Gauchão.

 

Kléber – Giuseppe Dioguardi diz que Kleber quer ficar e que Felipão é que não pretende tê-lo no clube. Segundo Pep ele tem mercado, mas que não tem pressa. E quem teria ganhando R$ 700 mil por mês?  Ele também afirmou que quando veio tinha duas propostas melhores. Como se apaixonou por  Porto Alegre não é? O representante também revelou que Kléber nunca recebeu em dia depois do primeiro ano. Nestor Hein, vice jurídico do Grêmio, não acredita muito em outras propostas e diz que Kleber deve ser eternamente agradecido pelo baita contrato que seu representante fez com Grêmio.

 

Felipão – Há os que entendem que Felipão está sendo muito intransigente. E que ele vai além das suas atribuições. Há os que acham que Kleber deveria ser aproveitado. A verdade é que o custo/benefício é zero.

 

Jornalista com 29 anos de experiência em rádio, TV e jornal, Luiz Carlos Reche cobriu seis Copas do Mundo. Além do Metro Jornal, tem comentários na Band AM 640, BandNews e Band TV. Na AM, ainda apresenta o “Atualidades Esportivas 2a Edição” e o “Apito Final”.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos