Ciência e Tecnologia

A verdade sobre os aplicativos móveis: eles podem estar vendendo seus dados pessoais

Muitas vezes, damos nossas informações sem nem perceber

Ciberseguridad (imagen ilustrativa)
Cambridge Analytica Facebook (Dreamstime)

ANÚNCIO

Hoje em dia, nossos celulares são tudo para nós. Eles contêm nossas conversas, nossas contas bancárias e toda sorte de informações pessoais. O problema? Muitas vezes usamos aplicativos que nos ajudam a gerenciar todos esses dados, os quais normalmente solicitam acesso à nossa localização, contatos e arquivos pessoais. E claro, a vida passa muito rápido para ler cada Termo e Condição que nos é apresentado, mesmo que seja um erro pular essa leitura.

ANÚNCIO

Desde redes sociais até plataformas de saúde, os aplicativos móveis normalmente coletam informações pessoais que podem ser facilmente distribuídas a terceiros, uma vez que somos nós mesmos que lhes permitimos acessar dados pessoais como nomes, e-mails ou números de telefone. Muitas vezes, também podem acessar nosso histórico de navegação, contatos e mensagens, o que começa quando os baixamos.

Na verdade, de acordo com estudos compartilhados pela Universidade de Cambridge, mais de 70% dos aplicativos coletam dados além do necessário para seu funcionamento, o que pode representar um grande problema para sua privacidade.

Google ofrece este cuso gratis para desarrollador de apps móviles con certificado.| Foto: Freepik
Google app

Os aplicativos móveis coletam dados valiosos

Num mundo onde a privacidade digital está se tornando cada vez mais relevante, uma recente pesquisa da Universidade Politécnica de Madrid nos lembra de como os aplicativos móveis podem comprometer a segurança de nossos dados pessoais.

Este estudo revelou que atualmente existem muitos aplicativos móveis que coletam nossos dados pessoais e os transmitem em grande escala para terceiros, como o Google ou o Meta, frequentemente sem o consentimento claro do usuário. Além disso, é comum entre as funções integradas desses aplicativos realizar atividades em segundo plano que podem não ser tão evidentes para os usuários, aumentando os riscos de privacidade.

E a venda de dados de usuários é uma prática bastante lucrativa. Vários escândalos expuseram como os aplicativos mais populares compartilham dados de usuários sem o consentimento explícito deles. Como aconteceu em 2018 com Cambridge Analytica, onde foi revelado que o Facebook permitiu o acesso a dados de milhões de usuários sem o consentimento deles e que foram usados para influenciar eleições políticas. Além disso, investigações também demonstraram que o TikTok coleta e compartilha grandes quantidades de dados com seus parceiros comerciais.

Caso Cambridge Analytica Getty

O que fazer diante deste problema?

Para combater esses riscos, o principal é começar se educando e ser usuários informados. Um bom ponto de partida para isso é sempre entender as permissões concedidas e também aproveitar as ferramentas de gerenciamento de privacidade nativas dos sistemas operacionais dos dispositivos. Além disso, outra boa medida pode ser apenas baixar aplicativos compartilhados por desenvolvedores com boa reputação no tratamento de dados.

Mas lembre-se: como usuários do iOS ou Android, cabe a nós verificar as permissões solicitadas pelos aplicativos antes de baixá-los e limitar o acesso a dados sensíveis sempre que possível. Em outras palavras, para proteger nossas informações pessoais, sempre será necessário tomar medidas proativas.

Se filtraron miles de datos personales de aplicaciones de citas
Smartphone Privacidade

ANÚNCIO

Recomendado:

Tags


Últimas Notícias