Ciência e Tecnologia

Estudo científico sugere que a vida extraterrestre poderia ser roxa

As descobertas do estudo servem para procurar essa característica, acima de outras, ao tentar encontrar vida no espaço exterior

Vida extraterrestre Pixabay
Vida extraterrestre Pixabay

ANÚNCIO

A Terra é um ponto azul no meio do espaço, se a olharmos de outras regiões do Sistema Solar. E embora essa não seja a única característica que os cientistas procuram em outros planetas, esse elemento de luminosidade é muito importante ao tentar encontrar vida em outro mundo.

ANÚNCIO

Um estudo científico descobriu que, possivelmente, a vida em outro planeta pode ser roxa, ao contrário do que acontece em nosso mundo.

A vida na Terra é vista em tons de azul e verde. A quantidade de oxigênio que nossas plantas respiram provoca a clorofila que produz a fotossíntese e é por isso que vemos essas cores predominarem nas árvores de nossa superfície.

No entanto, aqui mesmo na Terra, existem regiões onde a luz ou o oxigênio não chegam e as bactérias presentes nesses locais recorrem a outros métodos para realizar a fotossíntese. Isso resulta em organismos com pigmentos de cor púrpura, lilás ou roxa, conforme relatado pelo Bio Bio.

É para esse tipo de organismos que a ciência deveria mirar em busca de vida extraterrestre, de acordo com o estudo científico da Dra. Ligia Fonseca Coelho, pesquisadora pós-doutoral no Instituto Carl Sagan (CSI). A pesquisa tem o nome: "O roxo é o novo verde: biopigmentos e espectros de mundos roxos semelhantes à Terra", e foi publicada na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

"A Dra. Ligia disse: 'As bactérias roxas podem prosperar em uma ampla gama de condições, tornando-as uma das principais candidatas para a vida que poderia dominar uma variedade de mundos'."

A coautora do estudo, Lisa Kaltenegger, disse: “Precisamos criar um banco de dados de sinais de vida para garantir que nossos telescópios não percam a vida se ela não se parecer exatamente com o que encontramos ao nosso redor todos os dias”.

ANÚNCIO

As especialistas dizem que existe a possibilidade de que esse tipo de vida, que existe em nosso planeta, poderia ser comum em outro mundo e nós poderíamos estar ignorando isso. "Um sol vermelho favoreceria as condições para esse método", dizem as cientistas no estudo.

A equipe de pesquisa criou um modelo de desenvolvimento no qual predominam as bactérias com pigmentos roxos, a fim de identificar seus componentes em algum dos exoplanetas espalhados pelo universo.

ANÚNCIO

Recomendado:

Tags


Últimas Notícias