Ciência e Tecnologia

Os serviços de música por streaming estão em seu melhor momento

Os serviços como o Spotify ou Apple Music estão faturando recordes

Os serviços de música em streaming tiveram um impacto transformador na indústria musical, revolucionando a forma como as pessoas acessam, descobrem e desfrutam da música. Estas plataformas oferecem aos usuários acesso instantâneo a milhões de músicas de uma variedade de gêneros e artistas, eliminando a necessidade de comprar álbuns individuais ou baixar arquivos de música.

Mas o mais relevante é que essas plataformas geraram novas fontes de receita para a indústria musical compensando, em parte, a diminuição das vendas de música física e downloads digitais; e abriram novas oportunidades para artistas emergentes alcançarem audiências globais sem a necessidade de grandes gravadoras.

E nesse sentido, os serviços de música por streaming já estão gerando cerca de dois terços de todas as receitas de música gravada através de assinaturas pagas, de acordo com um novo relatório publicado em 26 de março pela Recording Industry Association of America. Os valores da música gravada cresceram em cada um dos últimos oito anos e aumentaram 7% no ano passado, alcançando um valor de varejo estimado em 17 bilhões de dólares. Este é um recorde, de acordo com o Relatório de Receitas da Indústria Musical de Fim de Ano de 2023.

Recomendados

Os reis da música

As assinaturas pagas de serviços como Spotify e Apple Music geraram mais de 11 bilhões de dólares em receita. Como resultado, as assinaturas estão em seu ponto mais alto da história, um aumento de 5,7% em 2023, chegando a quase 97 milhões.

Por outro lado, os serviços de streaming sob demanda com publicidade, como o YouTube e o nível mais baixo do Spotify, geraram 1,9 bilhões de dólares em receitas, enquanto os serviços de rádio digital como SiriusXM e estações de rádio na internet ganharam 1,3 bilhões de dólares em 2023. As assinaturas de nível limitado (como Amazon Prime e Pandora Plus) ganharam 1 bilhão de dólares.

Tudo faz parte de um ecossistema musical que ainda pode parecer um mundo feliz para aqueles que cresceram com discos, fitas cassete e 8 pistas. Atualmente, os serviços de streaming parecem oferecer uma grande variedade de sons, todos disponíveis para compra no conforto do seu sofá. O CNET nomeou o Spotify como o melhor serviço de streaming para 2024 devido à sua rica combinação de recursos e seu nível gratuito, o melhor da sua classe. Mas o Apple Music está bem atrás, e outros concorrentes incluem o YouTube Music, Tidal e Qobuz, o favorito dos audiófilos.

Eu quero ouvir, mas não baixar

No entanto, e embora as pré-vendas ativas do próximo álbum de Taylor Swift possam nos fazer acreditar o contrário, cada vez menos pessoas estão comprando downloads digitais de músicas e álbuns nos dias de hoje. Os downloads digitais diminuíram 12% para 434 milhões de dólares, disse a RIAA, representando apenas 3% de todas as receitas de música gravada para 2023.

No seu auge em 2012, os downloads digitais representaram 43% da receita da indústria fonográfica.

Mas se eu quiser comprar, se for físico e nostálgico

No entanto, as vendas de produtos musicais físicos estão crescendo após o que a RIAA chama de "notável ressurgimento em 2021". Os álbuns de vinil foram vendidos mais do que os CDs apenas pela segunda vez desde 1987, e a receita total da música física cresceu 11% para US$ 1,9 bilhão no ano passado.

Apesar de os serviços de streaming de música ganharem a maior parte do dinheiro, as principais empresas ainda sentem a pressão de atrair mais clientes oferecendo novas funcionalidades, como os vídeos de música do Spotify e o Replay do Apple Music, que resume os seus hábitos musicais.

Também estão reduzindo seu tamanho. Depois de demitir 600 pessoas em janeiro de 2023 e 200 pessoas em junho seguinte, o Spotify reservou o maior corte de pessoal para o final do ano, se despedindo de um quinto da equipe da empresa. O New York Times informou em dezembro que a empresa cortaria 1.500 postos de trabalho enquanto luta para continuar sendo rentável.

De acordo com o Times, o Spotify perdeu o dobro de dinheiro nos primeiros nove meses de 2023 do que no mesmo período do ano anterior, mas obteve um pequeno lucro no terceiro trimestre e aumentou os preços de assinatura em mais de 50 países.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos