Ciência e Tecnologia

Da ISS para a sua sala: bateria que vagou três anos pelo espaço perfura telhado de casa

Ninguém está seguro...

Basura espacial que cayó de la ISS | @Alejandro0tero + Composición

A Estação Espacial Internacional (ISS) orbita a Terra servindo como um laboratório científico avançado desde 1998. Trata-se de uma estrutura que foi montada graças à colaboração de vários países, incluindo Estados Unidos, Rússia e Japão, e que constantemente abriga mais de uma dezena de astronautas de diferentes nações. Embora mantenha um perfil discreto, a ISS não tem estado isenta de incidentes. Por exemplo, em 2021, um pequeno módulo de pesquisa russo, Nauka, teve problemas após o acoplamento, fazendo com que a estação girasse incontrolavelmente por alguns minutos. Claro que esse problema não causou danos a nada nem a ninguém, em comparação com o caso que iremos revisar agora.

E é que menos de um mês atrás, a cidade de Naples, Flórida, nos Estados Unidos, foi abalada pela queda de um objeto voador do céu. Tratava-se nada mais, nada menos do que uma bateria da Estação Espacial Internacional, cujo impacto perfurou uma casa de dois andares, atravessando do teto ao chão antes de parar.

A bateria que atingiu uma casa na Flórida

No caso, a NASA ouviu a reclamação de Alejandro Otero, um cidadão de Naples que comunicou em sua conta do X, uma rede social anteriormente conhecida como Twitter, fotos do evento juntamente com um pequeno parágrafo explicando o que havia acontecido.

Recomendados

“Poderiam me ajudar a entrar em contato com a NASA? Deixei mensagens e e-mails sem resposta”, dizia seu tweet.

Embora ainda não tenham se comprometido a compensar os danos causados na residência de Otero, uma análise inicial revelou que o objeto - até então não identificado - era na verdade uma bateria do tamanho de um telefone celular que foi descartada há três anos por uma nave de carga japonesa e que fazia parte das operações rotineiras da Estação Espacial Internacional.

De acordo com os relatos, o acidente foi capturado por uma câmera de segurança em 8 de março às 14h34 no horário local. Pode-se notar um forte estrondo na residência, que felizmente não deixou vítimas, mas causou danos estruturais significativos.

A bateria tinha estado orbitando a Terra por três anos, vagando pelo espaço exterior depois que seu retorno programado ao nosso planeta em 2021 foi cancelado. E, desafiando as estatísticas, caiu em uma propriedade privada em vez de no mar, como era mais provável.

No entanto, ainda não está claro se a NASA ou a agência espacial japonesa irão assumir os custos de reparação da casa de Otero. Sem dúvida, existem potenciais perigos associados ao lixo espacial, como suas trajetórias imprevisíveis de reentrada na Terra ou seu impacto ao cruzar a atmosfera, problemas que talvez possam ser evitados antes que aconteçam.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos