Ciência e Tecnologia

Valentina Tereshkova: a astronauta que foi forçada a procriar em nome da ciência

Todo esse experimento genético ocorreu por decreto soviético

Em 1976, durante o auge da Guerra Fria, Valentina Tereshkova, conhecida por ser a primeira mulher a viajar sozinha para o Espaço, enfrentou uma nova missão ditada pela liderança soviética.

Após sua histórica viagem espacial em 1963, quando orbitou a Terra 48 vezes em 70 horas, Tereshkova recebeu instruções para embarcar em uma tarefa pessoal: ela foi ordenada a ter um filho com seu colega astronauta Andrián Nikolayev.

Cruel experimento

Este mandato não era comum: enquadrava-se nos experimentos biológicos soviéticos destinados a estudar os efeitos da viagem espacial no organismo humano.

E é que a URSS havia realizado estudos semelhantes com os cachorrinhos Ugolok, Belka e Strelka, mas os resultados não foram encorajadores: seus filhotes nasceram cegos e um deles sem uma pata.

Por isso, agora procurava fazer o mesmo com Tereshkova e Nikolayev, conhecido como ‘O Homem de Ferro’.

"Dava pena olhar para Valentina e Andrián depois que ela e seu marido receberam a ordem de ter um filho. (...) O experimento era desumano, mas quem se importava com o homem naquela época? Naqueles tempos, começaram a pensar em colônias espaciais", declarou anos mais tarde o médico de Yuri Gagarin, Vitali Volóvich.

"O parto também não foi fácil, mas todos respiraram aliviados ao ver que uma menina normal havia nascido, embora fraca e muito pequena", acrescentou Volóvich.

No entanto, a gravidez e o parto da astronauta foram complicados, cercados de sigilo e medo, devido às teorias sobre os possíveis efeitos do espaço na reprodução humana.

Sua filha Elena, nascida em 8 de junho de 1964, tornou-se objeto de especulação e estudo. Ela era prematura e muito pequena, sendo alimentada artificialmente e sendo constantemente analisada até os 5 anos de idade.

“Não sou um monstro”, declarou Elena, atualmente com 60 anos, em uma ocasião.

Quem era Valentina Tereshkova?

Nascida em 6 de março de 1937 em Máslennikovo, URSS, Tereshkova cresceu com aspirações de voar e fazer saltos de paraquedas.

Apesar de sua falta de educação formal e depois de se juntar ao Partido Comunista da URSS, sua carreira como paraquedista e sua origem ‘proletária’ a levaram a ser selecionada para o programa espacial Vostok em 1962.

Foi escolhida para subir a bordo da Vostok 6 como comandante e única tripulante, uma honra assinada por Nikita Khruschev.

Sua viagem espacial, embora bem-sucedida, foi repleta de dificuldades, incluindo erros na programação da nave e problemas de saúde. De fato, os efeitos em seu corpo foram notoriamente mais graves do que se conhecia até então.

A vida de Tereshkova continuou na política, onde se destacou em vários cargos dentro do Partido Comunista, mantendo uma devoção pelo regime e, mais recentemente, uma estreita relação com Vladimir Putin.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos