Ciência e Tecnologia

‘Último astronauta soviético’: ele foi esquecido no espaço por quase um ano

Tudo começou a desandar depois do colapso da União Soviética

Sergei K. Krikalev / NASA

Imagina estar no espaço enquanto o mundo que você conhece se desmorona. No fascinante campo da exploração espacial, sempre pode acontecer que as missões tomem rotas inesperadas.

Sergei Krikalev, conhecido como "o último soviético", tornou-se o protagonista involuntário de uma história sem precedentes ficando preso no espaço por quase um ano na Estação Espacial Mir.

Qual é a razão? O colapso da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

A Odisseia de Sergei Krikalev

Sergei Krikalev é um cosmonauta russo que se tornou conhecido por seu voo de 803 dias no espaço, durante o qual ele ficou preso no espaço devido a conflitos políticos em sua terra natal. Em maio de 1991, Krikalev foi enviado para a Estação Espacial Mir e deveria ter voltado em novembro de 1991. No entanto, devido à desintegração da União Soviética, ele não conseguiu retornar. Em vez disso, ele permaneceu no espaço por 803 dias, retornando finalmente em março de 1992.

Durante este tempo, ele foi testemunha de momentos decisivos na história da Rússia, incluindo a abdicação do presidente Mikhail Gorbachev e a ascensão de Boris Yeltsin como primeiro presidente eleito da Rússia. Krikalev também foi forçado a usar suas habilidades de engenharia para manter a Estação Espacial Mir funcionando, já que não havia mais recursos para isso na Terra.

Tudo começa em maio de 1991, quando Krikalev subiu para a Estação Espacial Mir para a missão Soyuz TM-12, inicialmente planejada para durar cinco meses.

No entanto, a queda da URSS alterou significativamente o seu retorno à Terra.

O que deveria ter sido uma curta estadia se prolongou 311 dias no espaço, tornando-se uma emblemática missão espacial.

A missão mais longa

A bordo da Mir, compartilhando espaço com Anatoly Artsebarsky e Helen Sharman, a primeira britânica no espaço, o clima ficou ainda mais peculiar durante aqueles dias de espera.

O colapso econômico da URSS e o tentativa de golpe de estado contribuíram para o atraso de Krikalev, deixando-o preso em uma estação espacial que ele descreveu como pequena, com cheiro a humano e conhaque.

Sem nacionalidade após a dissolução da URSS, sua volta foi adiada devido à falta de fundos.

Finalmente, em 25 de março de 1992, Krikalev tocou solo no Cazaquistão, tornando-se o último cidadão soviético a regressar à Terra após o colapso da União Soviética.

Se somarmos todas as suas missões, Krikalev fez história ao passar um total de 803 dias 9 horas e 39 minutos no espaço.

Mesmo após esta odisseia espacial, o homem de hoje de 65 anos continuou trabalhando após a dissolução da URSS e em colaboração com a NASA.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos