Social

Mineira que ‘casou’ com boneco fala de críticas e apoio: ‘Dizem que sou louca, mas não me importo’

Ela contou como ‘romance’ começou e como foi o nascimento do filho bonequinho, Marcelinho

A mineira Meirivone Rocha Moraes, de 37 anos, que ficou internacionalmente conhecida após anunciar seu “casamento” com um boneco de pano, chamado Marcelo, contou como o “companheiro” entrou na sua vida. Ela, inclusive, chegou a ter um bebê com ele, nomeado Marcelinho. “Falam que sou louca, que preciso de tratamento, mas não me importo”.

Meirivove, mais conhecida como Santinha ou simplesmente “a mulher do boneco”, mora na cidade de Rio Paranaíba, em Minas Gerais. Em entrevista à revista “Crescer”, ela contou como iniciou o relacionamento com o boneco ainda durante a pandemia de covid-19.

“O Marcelo foi um pedido meu para a minha mãe. Ela é costureira e eu sempre fui dançarina de forró. Mas por conta da pandemia, não tinha um companheiro de dança nas festas, que passaram a ser online. Por isso, pedi para que ela fizesse um boneco de pano para eu dançar e ela topou. Então, num dia, fui trabalhar e ela disse para eu passar na casa dela para buscar o boneco. Na hora em que ela me mostrou o Marcelo, foi paixão à primeira vista!”, contou ela.

“Eu o peguei, trouxe para casa e, nesse mesmo dia, já fiz uma live no Facebook para apresentá-lo e aí começou a brincadeira. Na época, ele não tinha nome e uma amiga sugeriu ‘Marcelo’ para combinar com meu nome”, lembrou.

A mineira também contou como surgiu a ideia do casamento, que foi realizado no dia 18 de dezembro do ano passado, com direito a vestido de noiva, cerimônia e até lua de mel. Ela compartilhou um vídeo no Tik Tok mostrando como foi a cerimônia (veja abaixo).

“Na época, eu pedi ajuda à emissora de TV e rádio local e tivemos o patrocínio e ajuda de muitas empresas da região. Ganhei dois fotógrafos, bolo, doces, vestido, decoração, transmitimos ao vivo pelo Facebook... E a cerimônia foi linda, emocionante! Teve a dança dos noivos, tudo igual a um casamento de verdade...A certidão de casamento custou R$ 2, teve a juíza, que foi uma amiga, e convidei a cidade toda, cerca de 300 pessoas compareceram. Elas se divertiram, riram bastante, foi engraçado”, disse,

“Marcelo e eu trocamos promessas, alianças, foi lindo. Foi o meu dia! Eu nunca casei na igreja, nem com o pai dos meus filhos, com quem fiquei por 11 anos, mas era meu sonho. Também comemorei meu aniversário, que foi um dia antes, 17 de dezembro”, lembrou a mineira.

Depois disso, Meirivone acabou “grávida” do boneco, teve chá de bebê e deu à luz Marcelinho. Ela contou que o parto também foi transmitido ao vivo pelas redes sociais.

“(O parto) aconteceu em um cenário criado por mim, na sala da minha casa. Minhas amigas foram as ‘enfermeiras’ e ‘médicas’. Foi um parto normal e teve tudo: ultrassom, batimentos cardíacos, chorinho do bebê, aferição de pressão e até desmaio do Marcelo! Eu fiz todo o procedimento de um parto. Teve contrações, soro, injeções, as pulseiras com os nossos nomes… não faltou nada! Foi um ‘parto surreal’, lindo, como se fosse de verdade!”, disse ela.

Agora, Meirivone e a “família” estão dedicados a animar festas juninas na região em que moram. “Marcelo e eu estamos nos apresentando e animando as festas juninas. E Marcelinho nos acompanha no carrinho, claro”, contou.

Críticas e apoio

Meirivane é mãe, na vida real, de Caroline, que tem 19 anos, e de Diego, de 14. Ela contou como foi o processo de aceitação deles a respeito da vida com os bonecos.

“Criei meus filhos sozinha, pois quando me separei, eles ainda eram bem pequenos. Carol me ajuda muito. Já o Diego não é muito de interagir com o Marcelo e o Marcelinho, mas também me ajuda com os vídeos e fotos. Os amigos dele ficam pedindo os vídeos, querem saber quando eu vou aparecer em alguma reportagem ou programa”, relatou.

Por conta da escolha de vida, ela disse que costuma receber muitas críticas nas redes sociais, mas também há quem a apoia.

“A maioria das mensagem que recebo são boas, desejando que dê certo, que eu ganhe a casa própria que eu tanto quero. Sou faxineira, vivo dos meus braços, então muitas pessoas desejam que eu realize meu sonho. Mas, na internet, também vejo muitas críticas, muitas palavras “fortes”, falando que sou louca, que tenho de ser internada, que preciso de tratamento... Mas não me importo com esses comentários, pois sou uma artista, sou feliz com minha arte. Marcelo, Marcelinho e Santinha são uma alegria para as pessoas.”

Por fim, a mineira falou sobre o futuro que pensa em ter com o “marido”. “O plano é ter uma menina. Ainda estou pensando qual será o nome dela: Emília ou Marcela. Mas só daqui um ano e meio ou dois anos. Antes disso, ainda terá o batizado do Marcelinho, que deve acontecer em agosto ou setembro”, concluiu.

LEIA TAMBÉM:

Mãe se irrita após pássaros, alimentados pelo vizinho, fazerem cocô em seu bebê

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos