Social

Golfinho selvagem faz amizade com homem e o convida para brincar de ‘pega-pega’

O animal mostrou que no oceano é possível criar laços, além de conhecer as paisagens submarinas.

Ao deslizar para a superfície da água na costa da Irlanda, Evan Pender adentra em um ambiente vasto e quase ‘sobrenatural’ que poucos possuem a chance de conhecer. Apesar de mergulhar sozinho, não fica embaixo por muito tempo. Contudo, suas aventuras no ambiente aquático foram suficientes para conhecer Dusty, o golfinho que habita nas profundezas. Informações são do portal The Dodo.

Dusty marca sua presença no local há mais de 20 anos, conhecida por suas interações com barcos e banhistas que passam pela região. Contudo, o golfinho selou o pacto de melhor amigo com Pender, mostrando ansiedade todas as vezes em que o mergulhador aparece.

“Eu nunca procuro Dusty quando entro na água”, disse Pender ao The Dodo. “Ela me encontra, então ela deve gostar da minha companhia.”

Veja mais: Sommelier de aromas: Conheça o cãozinho que é viciado em cheirar flores

Pender já gastou diversas horas na água com o golfinho, explorando as profundezas submarinas. A amizade dos dois acabou florescendo.

“Todo contato entre mim e Dusty é iniciado por ela”, disse Pender. “Eu nunca a toquei em todo o tempo que mergulhei com ela. Eu a vejo como igual e não gostaria de desequilibrar nosso relacionamento esfregando-a.”

A conexão de Pender e Dusty

Certo dia, Pender mergulhava ao lado de Dusty e resolveu remover uma de suas nadadeiras durante o passeio submarino. Ao perceber que suas ‘barbatanas’ eram descartáveis, o golfinho pareceu espantado. O mergulhador ficou refletindo naquilo mesmo depois de terem se separado.

No dia seguinte, o golfinho apareceu carregando outra barbatana que havia encontrado. Pender entendeu aquele gesto como um presente vindo do animal.

Confira o vídeo da interação dos dois:

“Acho que entendo por que os golfinhos brincam com objetos. Isso cria confiança”, disse Pender. “Com Dusty, ela sabia que era tão agradável mergulhar e pegar a nadadeira, tanto para mim quanto para ela. Caso contrário, ela iria querer que eu largasse a barbatana para ela sempre. Mas [Dusty] queria que eu descesse por isso. Nunca pulou uma curva.”

Dusty mostrou que no oceano não existe apenas paisagens marinhas, mas também laços que podem ser criados. Pender foi o sortudo de fazer parte dessa experiência com o golfinho.

“Sinto-me em casa debaixo d’água”, disse Pender. “Adoro estar perto de Dusty, e nossa amizade está ficando cada vez mais forte.”

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos