Social

Cápsula do tempo enterrada há 134 anos é descoberta sob estátua polêmica

O artefato foi localizado embaixo da estátua de um polêmico general e seu conteúdo misterioso foi finalmente revelado na última terça-feira.

Utilizada para guardar objetos e documentos que marcaram uma época histórica ou fases da vida, a cápsula do tempo é uma forma de preservar informações para que sejam compartilhadas futuramente.

No caso do artefato localizado sob a estátua do general confederado Robert Lee, nos EUA, a caixa possuía itens interessantes datados da época da Guerra Civil norte-americana.

Conforme divulgado pelo Meganoticias, apesar de serem considerados relevantes, os itens encontrados na cápsula não são considerados relíquias para colecionadores.

Técnicos do Departamento de Recursos Históricos do estado da Virgínia localizaram itens como balas Minié (munições utilizadas durante a guerra civil, de 1861 a 1865), cédulas e moedas do período em que os confederados governaram a região, jornais, revistas e um Almanaque de 1887, livros, uma bíblia e documentos de lojas maçônicas da região.

Segundo relatos, dentro da caixa também foi encontrado um envelope contendo duas esculturas de madeira, os símbolos maçônicos e uma bandeira confederada. Enquanto dentro de um dos livros foi localizado um marcador com um desenho do perfil do General Lee.

Artefatos de guerra e imagens de momentos históricos

Entre os mais de 60 itens localizados dentro da caixa de cobre, destacam-se um fragmento de uma bomba utilizada na Batalha de Fredericksburg que terminou com a vitória dos sulistas em 1862 e um desenho retratando o funeral de Abraham Lincoln.

A imagem, que impressionou a todos, mostra uma mulher ajoelhada em frente ao caixão de Abraham Lincoln, assassinado em 14 de abril de 1865.

Conforme declaração de Kate Ridgeway, diretora do Departamento de Recursos Históricos do estado a Virgínia, onde está localizada a estátua, o conteúdo da caixa está “em melhores condições do que o esperado”.

Confira também:

O artefato foi localizado aos pés da estátua do General Lee, chefe do exército confederado que defendia a escravidão durante a Guerra Civil. Ela foi inaugurada em 1890.

Para muitos americanos, esta estátua é um símbolo da escravidão no país, o que levou a seu desmonte em setembro. Ela foi alvo de manifestantes durante os protestos que aconteceram por todo país após a morte de George Floyd, em 2020.

Durante a Guerra Civil, o Sul Confederado defendeu a escravidão, abolida durante a guerra no restante dos Estados Uidos

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos