Social

Pais revelam que relação entre gêmeos ajudou um dos bebês a ‘lutar pela vida’

Eles elogiaram o vínculo entre os dois irmãos, gêmeos idênticos, e dizem que o fato de ficarem abraçados ajuda na evolução do quadro clínico dos bebês.

Otis abraça Chester, seu irmão gêmeo que segue lutando pela vida

Um casal elogiou o vínculo entre seus bebês gêmeos idênticos. Chester Graves nasceu durante a 28ª semana de gestação pesando somente 1kg, enquanto seu irmão gêmeo, Otis, nasceu pesando ao menos 3kgs.

Segundo publicação feita pelo Daily Mail, após seis semanas internado Otis teve alta, mas o pequeno Chester permanece lutando pela vida no hospital.

Kelly Graves, de 32 anos, e seu marido Billy, dizem que não têm dúvidas de que a sobrevivência de Chester é possível graças ao vínculo existente entre ele e Otis. “Não tenho dúvidas de que abraçar seu irmão gêmeo o ajudou a continuar lutando”, declarou Kelly.

O casal registrou em fotos os momentos de interação entre os gêmeos, e compartilham as atualizações sobre o estado de saúde de Chester em sua página no Instagram.

“Temos muita sorte que Chester é um lutador e apesar de tudo que ele passou, ainda está lutando para voltar para casa e ficar com seus pais, Otis e o resto da família. Ele ainda está na incubadora e é mantido com alto fluxo de oxigênio desde que foi transferido para o hospital local”, disse Kelly.

Segundo os pais, a previsão é de que Chester possa receber alta no próximo mês de novembro, caso continue evoluindo de forma positiva.

Vínculo entre os gêmeos pode ter auxiliado Chester

Os problemas de saúde de Chester foram descobertos ao longo da 16ª semana de gestação. Kelly foi informada de que os bebês possuíam tamanhos diferentes, o que preocupou os médicos.

A diferença de tamanho entre os irmãos foi causada por uma condição chamada de Restrição Seletiva de Crescimento Intrauterino, o que fez com que um dos bebês não recebesse os nutrientes necessários da placenta, tendo seu crescimento interrompido.

Na 19ª semana, ela foi internada no Kings College Hospital, em Londres, para fazer um tratamento cirúrgico que separou os bebês dentro do útero, permitindo que ambos sobrevivessem de forma independente.

A cada novo ultrassom a mãe era informada de que havia chances de que Chester nascesse sem vida pois, apesar de continuar se desenvolvendo, seu crescimento era significativamente menor do que o de Otis.

Confira também:

“Eu comia cerca de 200g de proteína por dia para ajudá-lo a crescer e bebia cerca de cinco litros de água para tentar aumentar os níveis de água de Chester, porque também estavam baixos. Isso não foi comprovado como algo que ajudou, mas eu tentei de tudo que pude”, declarou Kelly.

Quando sua bolsa rompeu, durante a 28ª semana da gravidez, Kelly deu entrada no hospital para ter os gêmeos.

“Otis saiu primeiro e foi colocado na incubadora. Quando Chester saiu, eles encontraram um nó em seu cordão que também impediu seu crescimento e ficaram desesperados para estabilizar ele o mais rápido possível e ajudá-lo a sobreviver”, relata a mãe.

Desde seu nascimento, Chester está em uma luta constante pela vida. Ele foi diagnosticado com diversas doenças advindas de sua situação e recentemente precisou passar por uma cirurgia no olho.

Eles também são pais de outras três crianças, Phoebe, 10, Florence, 8 e Albert de 5. Segundo o casal, todos estão apoiando de fora incrível.

“As crianças têm sido incríveis, são tão jovens, mas estão tão desesperadas para levar Chester para casa, já que ainda não puderam conhecê-lo de verdade”.

Segundo Kelly, Chester ainda precisa ganhar peso antes de ser levado para casa, mas a expectativa dos médicos é de que ele tenha alta nos próximos dois meses.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos