logo
Social
Adolescentes são acusados de planejar massacre escolar / Imagem: Lee County Sheriff's OfficeAdolescentes são acusados de planejar massacre escolar / Imagem: Lee County Sheriff's Office
Social 13/09/2021

Adolescentes de 13 e 14 anos são presos após ‘tramarem massacre escolar ao estilo de Columbine’

Os jovens foram presos antes de conseguirem dar sequência aos planos após colegas expressarem preocupações sobre um deles possuir armas na mochila.

Os adolescentes Phillip Byrd, 14 anos, e Connor Pruett, de 13 anos, foram acusados de planejar realizar um tiroteio na escola onde estudam. Eles estariam planejando o crime tendo como base o massacre de Columbine, ocorrido em 1999.

Segundo publicação do The Mirror, os jovens teriam sido detidos antes de conseguir executar o plano. Os adolescentes foram pegos mapeando os locais onde a escola, localizada na Flórida, possui câmeras de segurança.

A descoberta ocorreu após alunos contarem ao professor que um de seus colegas de classe dizia ter uma arma na bolsa. O professor, por sua vez, alertou o setor administrativo da escola que iniciou a investigação.

Confira também:

Apesar de não terem localizado uma arma na bolsa do estudante, o mapa mostrando onde estavam as câmeras de segurança da escola foi localizado.

A polícia foi acionada e os detetives descobriram que os adolescentes estavam estudando de forma detalhada o massacre ocorrido em Columbine. Também foram localizados indícios de que eles tentavam aprender sobre como construir uma bomba e comprar armas de forma irregular.

Após uma investigação aprofundada em suas casas, os detetives encontraram munições, armas e diversas facas.

Após planejarem massacre escolar, adolescentes são levados ao tribunal

No último domingo os jovens foram levados ao tribunal para uma primeira audiência. A mãe de Phillip, Carrie Truller, não conseguiu conter o choro enquanto tentava defender o filho. “Ele é apenas um garotinho. Ele não achou que fosse realmente sério. Ele não achou que fosse sério”.

Os adolescentes foram detidos na quinta-feira e submetidos a avaliações de saúde mental antes de serem acusados de conspiração para realizar um tiroteio em massa. Eles estão obrigados a não ter contato com funcionários ou alunos da escola, tendo também que permanecer fora das dependências dela.

O juiz determinou que eles sejam mantidos em um centro de detenção juvenil pelo período de 21 dias, até que compareçam novamente ao tribunal.

O xerife do condado de Lee, Carmine Marceno, declarou em entrevista que: “Os detetives descobriram que os alunos se interessaram no tiroteio ocorrido na Escola Secundária de Columbine e estavam estudando muito para aprender mais sobre o incidente e os atiradores”.

Segundo o pronunciamento, os detetives também identificaram registros de pesquisas sobre como construir bombas e comprar armas de fogo de forma ilegal.

“Este poderia ter sido o próximo massacre de Parkland, mas nós os impedimos nos estágios de planejamento”, declarou o xerife que também reforçou que os adolescentes eram “bem conhecidos da polícia” porque os policiais já chegaram a responder mais de 80 chamados referentes a suas casas.

Após os jovens terem sido detidos, Kenneth Savage, superintendente do condado de Lee no qual fica localizada a escola, twittou um agradecimento a todos que ajudaram na prevenção do ato.

“Aos heróis “@HarnsMarshHS, OBRIGADO! Suas ações salvaram vidas e por isso as @LeeSchools são eternamente gratas. Todas as honras a @SheriffLeeFL e aos funcionários e alunos que interviram”.

Além dele, o pai de uma das vítimas do massacre de Parkland, em 2018, também agradeceu aos esforços que levaram a prevenção de um novo tiroteio escolar.

“@DerKenSavage @LeeSchools meu filho foi uma das vítimas no tiroteio na escola de Parkland. Agradecemos ao diretor Alex Dworzanski pela atenção à segurança dos alunos @HarnsMarshMS ontem. Ótimo trabalho!”.

O massacre de Columbine aconteceu em abril de 1999 no Colorado, onde dois atiradores foram responsáveis pela morte de 12 alunos e um professor, suicidando-se em seguida.

Em 2018, outro massacre escolar vitimou 17 pessoas em uma escola secundária da Flórida, EUA.