logo
Social
Representação / U.S. Government Representação / U.S. Government
Social 09/09/2021

Imagem impactante mostra mulher afegã encarando um combatente do Talibã

A fotografia foi capturada enquanto novos protestos eram realizados nas ruas de Cabul.

Uma imagem impressionante capturou o momento exato em que uma mulher afegã olha corajosamente para um combatente do Talibã que está apontando uma arma em sua direção. O momento aconteceu em meio aos protestos que surgiram em Cabul após a retomada do governo pelo grupo extremista.

Na imagem é possível ver o momento em que uma mulher olhando para um combatente do Talibã que aponta uma arma em sua direção. É possível notar pessoas se reunindo ao redor do combatente e da mulher.

Segundo o The Mirror, a identidade da mulher não foi confirmada assim como também não se têm informações precisas sobre o que ocorreu após a fotografia.

A cena teria acontecido na terça-feira durante um protesto próximo a embaixada do Paquistão.

Mulher encara combatente armado – REUTERS/Stringer TPX IMAGES OF THE DAY

Nas redes sociais diversas pessoas elogiaram a postura da mulher diante do homem armado. Segundo um alto funcionário da ONU, foram registrados “relatórios diários” sobre as restrições aos direitos das mulheres.

Alison Davidian, vice-chefe da ONU Mulheres no Afeganistão, disse que algumas estão sendo impedidas de sair de casa sem um parente do sexo masculino e que as mulheres, em algumas províncias, foram forçadas a parar de trabalhar.

A imagem mostra momento em que combatente aponta a arma na direção de uma mulher

Segundo a declaração de Davidian, alguns centros de proteção para mulheres que fogem da violência foram alvejados e casas de segurança para ativistas dos direitos humanos estariam com a capacidade total.

“A falta de clareza da posição do Talibã sobre os direitos das mulheres gerou um medo incrível. E esse medo é palpável em todo o país. As memórias são vivas do governo Talibã da década de 1990, quando havia severas restrições aos direitos das mulheres, e mulheres e meninas estavam compreensivelmente com medo”, afirmou Davidian.

Confira também:

Segundo os pronunciamentos realizados pelo porta-voz do Talibã, o grupo extremista prometeu respeitar os direitos das mulheres de acordo com a lei sharia.

Em Cabul, dezenas de mulheres voltaram às ruas exigindo que seus direitos sejam protegidos.