Sob as ordens de Trump, EUA executam uma mulher após hiato de quase 70 anos

Por Brenno Quadros

Na manhã de hoje, o governo Trump executou Lisa M. Montgomery, a única mulher no corredor da morte. Segundo o The New York Times, essa foi a primeira execução federal de uma mulher em quase 70 anos.

Montgomery, de 52 anos, foi condenada por assassinar uma mulher grávida em 2004 e por sequestrar a criança que ainda não havia nascido, alegando ser sua. Em apelos para poupar sua vida, seus apoiadores argumentaram que a vida dela teve uma história traumática de abusos sexuais, o que a fez desenvolver transtornos psicológicos que levaram ao crime.

A menina sequestrada sobreviveu à extração forçada e completou 16 anos no mês passado, no aniversário da morte de sua mãe.

VEJA MAIS:
◦ Designer cria película de vitral de igreja para colar na janela do avião
◦ Rosto de corvo e um grito assustador: conheça o 'Papagaio Drácula'
◦ Policiais chegam para interromper festa de swing, mas são confundidos com strippers contratados

De acordo com um comunicado da Federal Bureau of Prisons, ela foi declarada morta às 01:31. Sua morte, por injeção letal, é a 11ª execução desde que o governo Trump retomou o uso da pena capital federal em julho, após um hiato de 17 anos.

Pouco antes da morte, uma funcionária da prisão removeu gentilmente a máscara facial da Sra. Montgomery e perguntou se ela tinha alguma última palavra. Sua resposta foi apenas "não".

A última mulher a ser executada pelo governo federal foi Ethel Rosenberg, por espionagem, em 1953.

Loading...
Revisa el siguiente artículo