Mulher negra que pagava dobro do aluguel de vizinha branca é reembolsada em R$ 210 mil

Por Brenno Quadros

Uma associação habitacional de casas populares da Inglaterra reembolsou uma mulher negra cujo aluguel era mais alto que o de sua vizinha branca – em uma casa idêntica.

Segundo o HuffPost, Selma Nicholls recebeu de volta 30 mil libras (ou 213 mil reais, na cotação atual da moeda brasileira). A cobrança abusiva havia deixado a mulher de 40 anos na luta pela sobrevivência. Inclusive, ela chegou a enfrentar uma ação de despejo. Entretanto, seu pedido de indenização por danos morais foi negado.

Para aumentar sua frustração, os investigadores responsáveis declararam que não podiam ter certeza se o racismo teve ou não influência no caso.

VEJA MAIS:

• Fenômeno da música, Ana Frango Elétrico lança seu primeiro livro

• Alopecia: influencer revela que sofre com queda de cabelo desde os 13 anos

• UpGirl: aplicativo conhecido como o 'Uber apenas para mulheres' é lançado no Chile

O HuffPost relatou pela primeira vez em julho que o valor que Nicholls vinha sendo cobrada era completamente diferente de sua vizinha por uma propriedade idêntica em Tottenham, no norte de Londres. Ela estava pagando £ 1.000 por mês (R$ 7.000) a mais desde agosto de 2018.

“Sinto-me explorada, manipulada e negligenciada pela forma como a associação lidou comigo. Eu fui explorada, a única pessoa que não sabia que estava pagando o dobro da mesma unidade que a minha vizinha. Todos de lá estavam cientes e não fizeram nada para corrigir essa desigualdade por três anos.”

Só depois que Nicholls procurou a imprensa e tornou o caso público que a associação decidiu revisar o valor. Mãe de um filho, ela lutava para pagar as contas ao longo dos anos, chegando a lutar contra um quadro de depressão e ansiedade.

“Já passei noites sem dormir, estresse extremo e pressão intensa que poderia ter sido evitada se eu fosse tratado com tanta compaixão quanto a minha vizinha. A única diferença entre eu e ela é que eu tenho um filho e ela tem um cachorro, ela é branca e eu sou negra” – Declarou.

Tanto Nicholls quanto sua vizinha acreditavam que a cor da pele era um fator-chave no caso, já que ambas haviam solicitado a mesma redução de aluguel em circunstâncias semelhantes, com apenas o vizinha recebendo o benefício.

Selma Nicholls é a CEO e fundadora da agência de casting ‘Looks Like Me’ (‘Se parece comigo’, em tradução livre para o português’), que visa aumentar o perfil de grupos sub-representados no mundo da moda e da publicidade.

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo