logo
/ Divulgação - Gettyimages
Social 01/10/2020

Criança se intoxica após farmácia vender antidepressivo no lugar de antialérgico

Um caso que aconteceu no último dia 25 de setembro, revoltou os pais de uma criança de 8 anos, na cidade de Santiago, no Chile. O pai do menor havia ido até uma farmácia comprar um medicamento para rinite alérgica, receitado por um especialista, e equivocadamente lhe entregaram um antidepressivo.

Em entrevista ao jornal chileno T13, Carolina Morales, a mãe, explicou que após cerca de 3 dias ministrando o medicamento, essa era a primeira vez que o utilizavam, começou a perceber alguns sintomas adversos como coceira, febre, a boca adormecida e falta de apetite.

Foi então que ela resolveu analisar o conteúdo da caixa e ler a bula, quando percebeu que se tratava de um antidepressivo, notando que no lugar do medicamento Bilidren, entregaram ao pai o Brintellix. Desesperada, Morales procurou por um psiquiatra. “Quando vi que era um antidepressivo, quase me deu um ataque. Tive a sorte de ligar para um psiquiatra e ele me disse que poderia ser que tivesse vômito, diarreia ou perda de equilíbrio”, finalizou a mãe.

A receita havia ficado retida pela farmácia, mas na nota fiscal da compra é possível ver que de fato havia sido vendido o medicamento antidepressivo.

O pai desesperado também buscou a farmácia que pediu desculpas pelo ocorrido e confirmou o erro, atribuindo-o à uma falha humana. A rede de farmácias, conhecida no Chile, não quis se pronunciar oficialmente sobre o caso.

Os pais da criança pensam na possibilidade de iniciar uma ação judicial contra o estabelecimento de saúde.