logo
/ Reprodução @mariekondo / Reprodução @mariekondo
Estilo de Vida 23/10/2020

Marie Kondo dá 5 dicas para organizar o quarto das crianças

A guru da arrumação diz que as crianças também devem seguir o seu método e descartar todos os pertences que não lhe trazem alegria

A japonesa Marie Kondo é considerada um fenômeno mundial em organização de ambientes, por seu método que propõe guardar e descartar nossos pertences, a partir do que sentimos por cada um deles. Autora do best seller “A Mágica da Arrumação”, Marie fala que para decidir o que manter e o que jogar fora, devemos segurar os itens um a um e nos perguntar: “Isso me traz alegria?” Apenas aqueles em que a resposta for “sim” devem ser guardados.

“Pode soar estranho no começo, mas, acredite, é libertador. Você vai descobrir que grande parte da bagunça em sua casa é composta por coisas dispensáveis”, afirma ela em seu livro. É com essa mesma técnica intuitiva que a japonesa, mãe de duas crianças pequenas, sugere arrumar brinquedos, roupas e outros itens dos filhos. Com base em uma entrevista do pop.sugar, site americano voltado a mulheres, separamos a seguir 5 dicas de Marie Kondo para arrumar a bagunça das crianças. Confira.

Leia também: 10 dicas para ensinar os pequenos a manter os brinquedos organizados

As dicas de Marie Kondo para a bagunça das crianças

Método Marie Kondo de arrumacão das roupas das crianças

23

1. As roupas primeiro

Assim como os adultos devem pensar na alegria que cada pertence proporciona, para decidir ou não pelo descarte, as crianças devem fazer o mesmo. As roupas que trazem mais felicidade aos pequenos, portanto, são as que ficam. As demais devem ser doadas. Para organizar as roupas no armário, Marie recomenda dobrá-las verticalmente, em “pacotinhos” que podem ser guardados lado a lado na gaveta, facilitando sua visualização. E mesmo roupas velhas, rasgadas ou furadas, mas que deixam as crianças felizes, devem ser preservadas. Para Marie, cada pessoa tem de tomar suas próprias decisões e estas devem ser respeitadas pela família. Vale, porém, fazer um combinado quanto a onde esses itens serão guardados e em que situação poderão ser usados.

2. O valor dos bens não-materiais

Desde pequenas, as as crianças devem aprender a valorizar a presença dos amigos e entes queridos, os momentos de diversão que não dependem de brinquedos caros e a agradecer pelos prazeres da vida. Nesse contexto, lembre também que aquilo que não lhes traz alegria, pode trazer a alguém. Brinquedos quebrados e que não têm mais uso, assim como roupas antigas, podem ser doados ou mesmo vendidos pela internet, caso sejam de boa qualidade.

Leia também: Os 4 vídeos infantis mais vistos nas redes sociais

3. O canto da brincadeira

O ideal é ter um espaço separado na casa apenas para a hora da brincadeira, mas se isso não for possível,

Vale pensar em um canto da sala ou mesmo um armário no próprio quarto da criança que funcione como o espaço para a hora da diversão.  Marie sugere organizar os objetos por categorias (brinquedos, livros, fantasias etc), que devem ser mantidas sempre no mesmo lugar, para não confundir as crianças. Se a pintura e os desenhos são frequentes, vale criar um canto de arte para guardar todos os suprimentos nesse local. Os brinquedos podem ainda ser organizados em subgrupos – como pequenos brinquedos, quebra-cabeças, brinquedos usados ao ar livre, bonecas, etc. – e armazenados em caixas separadas. As crianças desde pequenas devem ser envolvidas na organização, devolvendo os pertences às caixas ou armário sempre após o uso. Ferramentas como a disciplina positiva propõem que isso seja feito desde os os 2 ou 3 anos de idade.

4. Uma estante com poucos e bons livros

Reúna todos os livros dos seus filhos espalhados pela casa e jogue-os em uma pilha no meio da sala. O método KonMari envolve muitas pilhas! Os seus filhos são muito velhos para alguns dos livros que eles ainda têm? Se mostram desinteressados por certas histórias? esses são alguns critérios que podem ajudar na hora de decidir o que fica e o que será descartado. Organize os títulos em pilhas de “doação” e “manutenção”. E não duvide: se o seu filho tem um livro há meses e nunca o abriu, pode apostar que continuará assim, orienta a japonesa.

5. Os trabalhos escolares na parede

Marie também orienta os pais a definirem o que é realmente importante e que marcou a vida dos filhos de alguma forma. E como essa categoria é sentimental, ela sugere deixá-la para o final de todo o processo de organização. Marie afirma que a maior alegria dos trabalhos escolares é o sentimento de orgulho da criança por ter feito aquele projeto e dos pais ao ver as produções que seu filho é capaz de fazer. Se a decisão for por guardá-los, vale organizá-los dentro de um tubo de papel para que ocupem menos espaço. Outra opção, principalmente, se forem grandes, é pendurá-los em uma parede para que todos possam prestigiar o trabalho da criança.

Leia também: Como a organização ajuda a criar bons hábitos em casa

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a newsletter da Canguru News. É grátis!