Foco

Entenda como funciona a cobertura e os tipos de sinal 5G que foram ativados na capital paulista

Serviços, por enquanto, estarão disponíveis apenas na região Central e na Zona Sul

Cobertura deve atingir, no início, 25% da área urbana da cidade

A Cidade de São Paulo passou a contar com sinal de telefonia 5G. A tecnologia foi ativada na quinta-feira (4) devido ao número expressivo de pedidos de instalação de antenas do tipo na capital, segundo informou a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Por enquanto, no entanto, apenas a região Central e a Zona Sul serão atendidas - o que representa apenas 25% da área urbana com cobertura.

De acordo com a Anatel, a capital paulista é a cidade brasileira com o maior número de linhas de telefonia móvel, com 27,7 milhões. Já em todo o estado, são 77,6 milhões. Nos últimos meses, foram pedidas as instalações de mais de 1,3 mil antenas na faixa de 3,5 GHz, a principal do 5G. Assim, a agência decidiu antecipar o plano para ativação do sinal.

Conforme a Anatel, a velocidade 5G pode chegar a ser até 20 vezes maior que a do 4G. A ativação da tecnologia na capital paulista ocorre depois da implantação nas cidades de Brasília, Belo Horizonte, João Pessoa e Porto Alegre.

Mas para que o usuário se beneficie do 5G, ele precisa ter um aparelho celular compatível. As operadoras telefônicas informaram que, nesses casos, não é preciso fazer nenhuma mudança, pois o sinal entra automaticamente em funcionamento quando ele estiver no raio de ação da antena.

No entanto, cada uma tem uma regra para o uso do sistema (veja no fim do texto).

Sinal entrou em operação na quinta-feira

Diferenças entre os tipos de internet 5G

A principal faixa do 5G que entrou agora em operação comporta o “standalone” (autossuficiente, em inglês) ou SA, também conhecido como a versão “pura” da quinta geração de internet móvel, segundo o Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência (Gaispi).

Além dela, será possível se conectar por meio das versões “non-standalone” (NSA), que usa parte da infraestrutura do 4G, ou pelo “DSS” (Compartilhamento Dinâmico de Espectro, na sigla em inglês), que algumas operadoras chegaram anunciar como sendo “5G” desde 2020, mas que usa apenas a estrutura do 4G.

A novidade do 5G SA é que ele usa a faixa de 3,5 GHz, que é considerada o principal caminho para circulação dos dados. Porém, ela terá essa cobertura ainda limitada na capital paulista.

As versões SA e o NSA usam antenas e frequências dedicadas ao 5G, mas, no caso do segundo, há um compartilhamento do núcleo de rede usado no 4G.

Regras para uso por operadoras

Ao site G1, as três maiores operadoras de telefonia que operam na capital - Claro, Vivo e TIM - destacaram quais são as regras para a utilização do 5G. Veja abaixo:

A Claro destacou que o serviço, chamado pela empresa de 5G+, será oferecido as usuários com aparelhos celulares compatíveis sem nenhuma mudança nos plano de dados móveis. Também não será necessária a troca de chips. A companhia ressaltou que terá antenas em 52 bairros da cidade de São Paulo.

Já a Vivo informou que seus clientes com chip 4G já tinham acesso ao sinal, que a empresa chama de 5G non-standalone (NSA) e que começou a ser disponibilizado no fim de 2021. A companhia ressaltou que esse sistema oferece a mesma experiência que o 5G “puro” ou “standalone” (SA), que começa a ser oferecido agora.

Ainda segundo a Vivo, ambos os sinais usam a faixa que foi ativada pela Anatel na quinta-feira, mas o NSA também dispõe de uma outra faixa, a 2,3 GHz, por isso ele predomina no Brasil e no mundo. A companhia informou que, para acessar o 5G SA, os clientes terão que usar um chip compatível, mas o acesso aos serviços serão feitos de forma gratuita. Por fim, a empresa destacou que terá antenas em 54 bairros da capital paulista.

Já a TIM informou que os usuários terão que ativar um novo plano, que ainda será lançado, para acessar o 5G (SA). No entanto, não será necessário que os clientes troquem o chip.

A empresa destacou, ainda, que essa oferta terá um pacote de 50GB de internet e conteúdos de games inclusos e será gratuita por 12 meses após sua ativação. Já para o acesso ao 5G NSA não haverá cobrança extra.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos