Foco

‘Encontro’: Modelo é preso por atropelar e matar menor no RJ; vídeo flagrou piloto em alta velocidade

Bruno Krupp não tinha habilitação; vítima caminhava com a mãe na orla da Barra da Tijuca

Ele foi flagrado em vídeo circulando em moto em alta velocidade

O programa “Encontro”, da TV Globo, repercutiu na manhã desta quarta-feira (3) a prisão do modelo e influenciador digital Bruno Krupp, de 25 anos, que atropelou e matou um adolescente de 16 anos na orla da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A vítima, João Gabriel Cardim, caminhava com a mãe quando foi atingida pelo motociclista, que foi flagrado minutos antes em um vídeo circulando em alta velocidade (veja abaixo).

Nas imagens é possível ver que, assim que Krupp passa na motocicleta, as pessoas que estavam no quiosque se assustaram com a alta velocidade. Ao fundo, João Gabriel e sua mãe estavam atravessando a rua.

O atropelamento ocorreu por volta das 23h do último sábado (30) na Avenida Lúcio Costa, na altura do Posto 3. O adolescente teve uma perna amputada na hora e foi levado ao Hospital Municipal Lourenço Jorge. Ele passou por uma cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Já o modelo chegou a ser levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge com escoriações, de onde foi liberado no domingo (31).No entanto, voltou a ser internado em um hospital particular no Méier, na Zona Norte do Rio, onde foi preso nesta manhã.

De acordo com a Polícia Civil, Bruno Krupp não tem habilitação. Além disso, três dias antes ele tinha sido parado em uma blitz da Lei Seca, mas acabou liberado.

O caso foi inicialmente registrado no 16ª DP (Barra da Tijuca) como lesão corporal culposa provocada por atropelamento e falta de habilitação e proibição de dirigir veículo automotor. Porém, agora os trabalhos seguem como homicídio doloso, já que a vítima morreu.

Ele foi flagrado em alta velocidade momentos antes

Prisão

O modelo teve um mandado de prisão preventiva expedido pela juíza Maria Isabel Pena Pieranti, do plantão judicial do Tribunal de Justiça do Rio, que destacou na decisão que ele “não é um novato nas sendas do crime” e que sua liberdade “comprometeria a ordem pública, sendo a sua constrição imprescindível para evitar o cometimento de crimes de idêntica natureza, podendo-se dizer que a medida visa também resguardar a sociedade de condutas que ele possa vir a praticar”.

A juíza ressaltou que mesmo o modelo tendo sido parado na blitz da Lei Seca, a medida acabou por não ter o efeito didático.

O pedido de prisão foi feito pelo delegado Aloysio Berardo Falcão de Paula Lopes, responsável pelas investigações. Segundo ele, o modelo demonstra outras passagens policiais por estupro e estelionato, “razão pela qual se faz necessária sua segregação cautelar, por meio de expedição de mando de prisão preventiva, visando garantir a ordem”.

Defesa

Em entrevista ao jornal “O Globo”, o advogado Willian Pena, que representa Krupp, admitiu que o modelo estava acima da velocidade permitida, mas afirmou que a vítima “subitamente” surgiu na via, atravessando fora da faixa de pedestres.

“Ele disse que, segundos após dar uma arrancada com a moto, houve o choque. Mas o velocímetro ainda será avaliado pela perícia. Além disso, confirmou ter tirado a Carteira Nacional de Habilitação há cerca de 15 dias e que o veículo estava emplacado até o momento do acidente, quando a placa caiu. É importante frisar também que os pais dele estão dando todo apoio a família da vítima, com suporte emocional e financeiro”, destacou.

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos