Foco

Finlândia disse que pretende entrar na Otan “sem demora”; Rússia promete retaliação

Porta-voz da Rússia disse que o governo será obrigado a tomar medidas de retaliação

A Finlândia anunciou que vai abandonar o status de país neutro para aderir à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), em uma decisão que provocou a ira da Rússia, que classificou a decisão de ameaça direta. A Suécia também deve entrar para a aliança ocidental.

A expansão da Otan nas fronteiras russas foi exatamente o que levou o Kremlim a invadir a Ucrânia, de acordo com discurso repetido por Vladimir Putin. Agora, diante da iminência de adesão de dois novos países da região, o governo russo ameaça uma “resposta”.

A Finlândia possui 1,3 mil quilômetros de fronteiras com a Rússia e sua adesão coloca, na prática, as forças da Otan a praticamente algumas horas de carro de São Petesburgo.

“A Finlândia precisa solicitar adesão à Otan sem demora”, disseram o presidente Sauli Niinisto e a primeira-ministra Sanna Marin em comunicado conjunto.

Questionado se a ação não soaria como uma provocação à Rússia, o presidente finlandês disse: “Minha resposta seria que Putin causou isso. Olhe no espelho.”

LEIA TAMBÉM: Presa na Tailândia por tráfico internacional, Mary Hellen pega 9 anos de prisão

O porta-voz do Kremlim disse que a expansão da Otan não torna o continente europeu mais estável e seguro. Entre as possíveis retaliações propostas, autoridades russas falam em posicionar mísseis com armas nucleares no Mar Báltico.

“A Rússia será forçada a tomar medidas de retaliação, tanto de natureza militar-técnica quanto de outra natureza, a fim de impedir que surjam ameaças à sua segurança nacional”, disse o porta-voz do Kremlim, Dmitry Peskov

O Parlamento sueco deve se reunir nesta sexta-feira para dar seu parecer final sobre a proposta de adesão ao bloco ocidental, encerrando mais de 200 anos de neutralidade.

Pode interessar também:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos