Foco

Saiba quais cuidados tomar ao viajar com os pets

Especialista em comportamento animal dá dicas sobre o transporte em avião ou carro

Especialista explica como transportar gatos e cachorros em segurança

Se você vai viajar com seu animal de estimação para curtir o Ano Novo, é preciso tomar uma série de cuidados para garantir que o passeio seja divertido e seguro.

O especialista em comportamento animal Cleber Santos, CEO da Comport Pet, empresa especializada em serviços de Day Care e adestramento, dá dicas para preservar a saúde do seu pet. Confira:

1 - Faça uma adaptação à caixa de transporte. O ideal é que ela seja inserida como parte do ciclo diário do animalzinho antes da viagem. Garanta que ele consiga entrar e sair da caixa sozinho sentindo segurança e a deixe presente no momento de dormir e da alimentação, criando associações positivas. Pegar um animal que nunca usou a caixa de transporte e de repente trancá-lo por horas pode ocasionar uma sensação de desconforto e estresse. Isso afeta sua respiração e também a sua parte sanguínea, podendo levar, inclusive, a uma parada cardíaca.

2 - A dimensão da caixa de transporte é muito importante. O cão ou o gato precisa conseguir ficar tanto de pé, quanto conseguir fazer um círculo de 360°, para que consiga se movimentar, se esticar e ter um espaço confortável.

3 - Antes da viajem, o animal precisa ter uma boa alimentação sem excessos. Não estar com o estômago cheio, para evitar que em uma situação de estresse ele passe mal e se engasgue com o próprio vômito.

4 - Especificamente para os cães, o ideal é que façam passeios, caminhadas ou até que fiquem em uma Day Care brincando no dia anterior à viagem, para que ele tenha um gasto de energia adequado antes da hora do voo.

5 - Deixe à disposição (durante o voo) brinquedos, estímulos e objetos para roer, para que ele passe o tempo se distraindo e interagindo com esses objetos que estarão junto dele na caixa.

6 - Se você vai viajar de carro com o seu gato, mantenha-o sempre na caixa de transporte. Se for com seu cão, independentemente do tamanho, é importante não permitir que ele fique solto andando pelo carro.

7 - Muitos cães, quando fixados com o cinto de segurança pet no banco traseiro, ficam agitados e latindo. Apesar de ser um barulho incômodo, o dono não deve ceder, pois isso pode ocasionar graves acidentes de trânsito. O cachorro pode alcançar os pés do condutor, entrar no volante, ou colocar a cabeça para fora da janela e acabar pulando por ver alguma coisa fora que chamou sua atenção. Portanto, siga sempre a regra do uso do cinto de segurança pet, que é o regulamentado pela lei de transporte de animais.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos