Foco

Pai e madrasta são presos suspeitos de torturar menino: ‘Muito levado’

Caso ocorreu em Planaltina de Goiás; criança apresentava várias lesões, além de sinais de desnutrição

Um casal foi preso suspeito de torturar um menino de 7 anos, em Planaltina de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. De acordo com a Polícia Civil, o homem é pai da vítima e a mulher, madrasta. Eles confessaram em depoimento que batiam na criança por ela ser “muito levada”.

O caso começou a ser investigado no dia 5 de novembro após uma denúncia de maus-tratos feita ao Conselho Tutelar. O órgão foi até a casa da família para averiguar a situação e encontraram no local, além do menino de 7 anos, outras cinco crianças. No entanto, todas elas são filhas do casal, com exceção da vítima, que é filha apenas do homem.

LEIA TAMBÉM:

Durante a visita, os conselheiros tutelares observaram que o menino tinha marcas de agressões em diferentes níveis de cicatrização, uma lesão na cabeça e também apresentava sinais de desnutrição. O caso foi encaminhado à Polícia Civil, que instaurou uma investigação.

Na última terça-feira (23), o delegado Lucas Rocha, responsável pelo caso, indicou o casal pelo crime de tortura circunstanciada. Foi efetuado o pedido de prisão preventiva à Justiça, que acatou a medida.

Agressões

Segundo o delegado, o menino passou por exames que comprovaram as agressões. “Ele tinha marcas de queimaduras nas mãos e braços. A gente não conseguiu descobrir ao certo a razão, mas os médicos indicam que foi água fervente”, contou Rocha.

Além disso, a criança contou à polícia que ficava vários dias sem receber comida. ”Quando o resgataram ele estava com 20 quilos, sendo que o ideal para a idade e estatura dele, é 35″, concluiu o delegado.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos