Foco

Família suspeita que pediatra foi morto por alertar sobre abuso sexual de criança, na Bahia

Médico foi assassinado dentro de clínica particular na cidade de Barra.

A família do médico pediatra Júlio César de Queiroz Teixeira, de 44 anos, que foi morto a tiros dentro do consultório em que trabalhava na cidade de Barra, na Bahia, suspeita que ele tenha sido assassinado por vingança. O motivo seria um alerta que o profissional deu a parentes de uma criança após constatar sinais de que ela sofreu abuso sexual.

Em entrevista ao site G1, o irmão do médico, o cirurgião-dentista Lula Teixeira, de 48 anos, falou que surgiram muitas versões para o crime e, entre elas, está a de que a criança molestada foi atendida pelo pediatra, que alertou os familiares da vítima sobre o caso. «Ele, como médico, tem por obrigação ver uma questão dessa e alertar a mãe e o pessoal para procurar a polícia», disse.

LEIA TAMBÉM:

  1. Homem sobrevive após ferro de arma caseira atravessar seu pescoço, no Pará
  2. Tribunal do júri no DF condena mulher por feminicídio a 18 anos de prisão
  3. Pet shop perde cão no DF e tutora faz apelo para encontrá-lo
  4. Menino de 11 anos morre após desabamento no Rio; ele buscava tijolos para construir casinha para cachorro

O crime aconteceu na manhã de quinta-feira (23) dentro de uma clínica particular que fica na Rua Cardeal da Silva, bairro Rosário. De acordo com a Polícia Civil, o médico, que também prestava serviços de ultrassonografia, tinha acabado de atender um paciente quando um suspeito entrou no consultório e atirou várias vezes contra Teixeira. Ele chegou a ser socorrido por outros funcionários e levado para um hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Imagens da câmera de segurança da clínica mostraram o momento em que um homem, usando um capacete, entrou no local. Após efetuar vários disparos, ele fugiu. Pacientes que aguardavam atendimento ficaram desesperados. Veja o vídeo abaixo:

Investigação

Apesar das suspeitas do irmão do pediatra, a polícia ainda não divulgou nenhuma linha de investigação. A corporação informou, apenas, que busca identificar os suspeitos do assassinato. Ainda de acordo com a polícia, enquanto o suspeito cometeu o crime, um comparsa o aguardou do lado de fora da clínica para dar fuga. Os dois saíram do local em uma moto.

Júlio César era natural da cidade de Xique-Xique, que fica a cerca de 700 km de Barra. O corpo dele foi enterrado na manhã desta sexta-feira (24) na cidade natal.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos