Foco

Nigeriano é preso suspeito de asfixiar e jogar filho do 11º andar de prédio em São Paulo

Crime ocorreu em junho deste ano na zona leste e homem estava foragido.

Nigeriano foi preso suspeito de matar o filho, em SP

Um nigeriano foi preso suspeito de asfixiar e jogar o filho, de 10 anos, do 11º andar de um prédio na Fazenda Aricanduva, zona leste de São Paulo. O crime ocorreu em junho deste ano, mas o homem estava foragido e foi detido na quinta-feira (16) na capital paulista.

Segundo a Polícia Militar informou à reportagem da TV Record, o nigeriano, identificado como Celestine Anyaso, cometeu o crime para se vingar da ex-mulher. Ele tinha guarda compartilhada da criança e, em um dos dias em que estava com o menino, cometeu o crime.

O Metro World News não localizou a defesa do suspeito para comentar o caso até a publicação desta reportagem.

Leia também:

  1. VÍDEO: Bombeiros resgatam menina que caiu em cisterna de 15 metros de profundidade, em Goiás
  2. Terminam hoje inscrições do concurso do TJ-SP com 266 vagas para juiz com salário de R$ 28 mil
  3. Funcionária de companhia aérea é agredida por passageiro no aeroporto de Brasília
  4. Bolsa do Povo: hoje é o último dia para se inscrever para ganhar auxílio de R$ 500 mensais

A mãe do menino contou que teve um relacionamento com o homem, mas que eles não viviam mais juntos desde que o filho nasceu. Depois disso, o nigeriano foi preso por tráfico internacional de drogas e, após 10 anos na cadeia, foi solto em janeiro passado.

Assim, o homem procurou a família e pediu a guarda compartilhada. Em junho deste ano, a mãe liberou o filho para passar um fim de semana com o pai, quando ocorreu o crime. O menino foi asfixiado e jogado do 11º andar de um prédio. Na ocasião, ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

Logo após a morte da criança, o nigeriano foi detido e prestou depoimento. Ele falou que o menino tinha se jogado do prédio e foi liberado após o depoimento. Porém, os exames constataram que a vítima morreu por asfixia mecânica antes da queda. Além disso, a perícia encontrou vestígios de sangue no apartamento do pai.

O homem passou a ser o principal suspeito do crime, mas fugiu. Desde então ele era procurado e acabou detido na quinta-feira. Ele foi levado para o 8º distrito policial da capital e segue mantido sob custódia.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos