logo
Foco
Turista japonesa Hidomi Akamatsu foi morta em Abadiânia, Goiás / ReproduçãoTurista japonesa Hidomi Akamatsu foi morta em Abadiânia, Goiás / Reprodução
Foco 11/09/2021

Jovem é condenado a 23 anos de prisão por matar e esconder corpo de turista japonesa em Goiás

Crime ocorreu próximo à casa onde João de Deus fazia atendimentos.

Por : Metro World News

Um jovem de 19 anos foi condenado a 23 anos de prisão em regime fechado por matar e esconder o corpo da turista japonesa Hidomi Akamatsu, de 43, em Abadiânia, Goiás. O crime ocorreu em novembro do ano passado, em uma cachoeira nas proximidades da Casa Dom Inácio de Loyola, onde o médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, realizava atendimentos espirituais.

A sentença foi dada na sexta-feira (10) pelo juiz Marcos Boechat Filho, da comarca de Abadiânia. Segundo a assessoria do Tribunal de Justiça de Goiás, ainda cabe recurso à defesa. O jovem também foi denunciado por estupro, mas esse fato não foi comprovado pela perícia.

Leia também:

O crime aconteceu no dia 10 de novembro do ano passado. A vítima fazia tratamento espiritual há dois anos na Casa Dom Inácio, mas a investigação não apontou nenhum envolvimento de João de Deus, que está preso e responde por crimes sexuais, no caso da morte da tusrista japonesa.

Segundo a denúncia, no dia do assassinato, o rapaz condenado pelo crime, que na época tinha 18 anos, encontrou a turista sozinha na cachoeira e decidiu cometer o roubo para pagar uma dívidas de drogas. Como a vítima não tinha nada além da roupa do corpo e um colchonete, ele decidiu matá-la por enforcamento e esganadura. No entanto, o exame cadavérico concluiu que Hidomi morreu por traumatismo craniano.

Na ocasião, o condenado roubou o colchonete da vítima e uma carteira, além das roupas que ela usava. Ele foi flagrado com os pertences da turista por imagens de câmeras próximas ao local do crime. Momentos antes, Hidomi foi vista passando no sentido das cachoeiras e Rafael passou em seguida, sozinho.

O jovem teria dito à Polícia Civil que estuprou a vítima, mas esse crime não foi confimado pela perícia, já que o corpo da vítima foi encontrado já em avançado estado de decomposição. Já a ocultação de cadáver foi comprovada, uma vez que o corpo foi localizado próximo à cachoeira, no fundo de uma grota e coberto por pedras.

Ainda segundo a investigação, Hidomi Akamatsu foi uma das sobreviventes do acidente nuclear de Fukushima, ocorrido em 2011 no Japão.