logo
Foco
Ato Grito dos Excluídos em SP / Roberto Parizotti/Fotos PúblicasAto Grito dos Excluídos em SP / Roberto Parizotti/Fotos Públicas
Foco 07/09/2021

Haddad e Boulos defendem a democracia em ato Grito dos Excluídos em SP

Esquerda se reuniu no Vale do Anhangabaú

Em seu discurso no ‘Grito dos Excluídos’, ato da esquerda no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) disse que Bolsonaro “conseguiu dividir os brasileiros no dia da sua independência”.

O político petista afirmou que ali estavam os defensores da democracia, enquanto os que estavam na Avenida Paulista defendiam a ditadura e o fascismo. “Depois de três anos de destruição dos empregos, da vida e da esperança, o que essas pessoas estão fazendo na Paulista? Por que não estão aqui com a gente?”, perguntou.

Leia também:

Bolsonaro volta a atacar STF, retoma pauta do voto impresso e diz que só Deus o tira da presidência

Lula, Ciro, Doria e Mandetta alertam para a necessidade de defesa da democracia

Doria diz ser favorável ao impeachment de Bolsonaro

Haddad acusou Bolsonaro de “defender a filharada” e afirmou que o dia do presidente responder na justiça está chegando”.

Na sequência, foi a vez de Guilherme Boulos (PSOL), líder do MTST, discursar. Segundo ele, o 7 de Setembro ajudou a mostrar que a esquerda não vai “deixar a rua para eles” – referindo-se aos apoiadores do Bolsonaro. “Nós não temos medo de ameaças golpistas. O medo está do lado de lá. O medo é do Carluxo (o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente da República), que deve ser preso logo mais”, completou.

De acordo com a organização, o ato teve a presença de 50 mil apoiadores. Já segundo estimativa da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), 15 mil.