Foco

GO: Ministério Público denuncia prefeito de São Simão por crimes sexuais contra adolescentes

Ele foi preso após denúncias de que mostrou partes íntimas para menor.

Prefeito de São Simão, Goiás, Assis Peixoto

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou o prefeito de São Simão, Francisco de Assis Peixoto (PSDB), por crimes sexuais contra duas vítimas. O político também vai responder por importunação sexual, tentativa de adquirir e também divulgar pornografia envolvendo criança ou adolescente. Ele segue preso desde o último dia 28 de julho.

Segundo o MP-GO, além dos delitos pelos quais o prefeito foi denunciado, chegaram ao conhecimento do órgão relatos sobre a prática de pelo menos 17 crimes diversos dos que constam na peça acusatória, narrados por cinco vítimas. No entanto, esses crimes já estão prescritos e, por isso, Assis Peixoto não pode mais responder por eles.

Leia também:

  1. Câmara aprova cassação do mandato da deputada Flordelis
  2. Bombeiros salvam menino de 2 anos que ficou com cabeça presa em panela de pressão, em Goiás
  3. Suspeito de matar advogado em briga de trânsito em SP se apresenta à polícia

O caso segue sem segredo de Justiça. O advogado de defesa do político, Edemundo Dias, informou que, após ter a íntegra do processo, vai protocolar um novo pedido de habeas corpus.

Em nota enviada ao Metro World News, a Prefeitura de São Simão destacou que “são acusações infundadas, que serão esclarecidas ao longo das investigações”.

Na última terça-feira (9), o vice-prefeito de São Simão Fábio Capanema assumiu o cargo interinamente.

Prisão e denúncias

Assis Peixoto, de 58 anos, está preso desde o dia 28 de julho, quando foi deflagrada a Operação Paideia. A mãe de uma das vítimas, de 15 anos, procurou as autoridades para denunciar que o político fez várias videochamadas para o filho e, em uma delas, chegou a mostrar as partes íntimas.

A mãe do adolescente relatou que o político procurou o filho dela e se apresentou como sendo o prefeito. Em uma das ligações, o menor conseguiu gravar e ela percebeu que se tratava de um caso que deveria ser denunciado à polícia. Assim, ela procurou as autoridades e entregou a gravação, na qual é possível ver o rosto do prefeito.

Uma cópia de uma das conversas por um aplicativo mostra que o suspeito diz ao adolescente: “Quer ver?”. O menor então responde: “Vou ligar e você mostra”.

Confira abaixo os crimes pelo qual o político foi denunciado:

  1. Artigo 241-B, caput, do Estatuto da Criança e do Adolescente combinado com o artigo 14, inciso II, do Código Penal (tentativa de adquirir fotografia pornográfica envolvendo adolescente);
  2. Artigo 241-A do Estatuto da Criança e do Adolescente combinado com o artigo 14, inciso II, do Código Penal (transmissão ou divulgação de fotografia ou outro registro que continha cena de sexo explícito ou pornografia envolvendo criança ou adolescente);
  3. Artigo 215-A do Código Penal (importunação sexual) – por duas vezes.

Operação Paideia

Segundo o MP-GO, a Operação Padeia, que resultou na prisão do prefeito, foi deflagrada no dia 28 de julho. Além do mandado de prisão preventiva contra o político, também foram cumpridos mais três mandados de busca e apreensão.

Os policiais estiveram na sede da Prefeitura de São Simão e em um hotel, que pertence a familiares de Assis Peixoto. No entanto, não foram revelados quais os objetos apreendidos.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos