Foco

PM diz que escorregou em garrafa de água antes de atirar acidentalmente contra esposa e matá-la no litoral de SP

Soldado foi acusado de homicídio culposo, sem intenção de matar

Um PM (policial militar) de 34 anos que atirou acidentalmente contra a esposa, de 23, em Praia Grande, no litoral de São Paulo, afirmou que o disparo aconteceu após ele escorregar em uma garrafa de água que estava no chão. O soldado foi acusado de homicídio culposo (sem intenção de matar). 

O acidente ocorreu por volta das 5h da última sexta-feira (dia 6), na residência do casal, quando o agente se preparava para sair para trabalhar.

Leia também:

Prefeitura de São Paulo torna obrigatória a vacinação contra covid-19 para servidores e funcionários públicos

Mega-Sena pode pagar R$ 55 milhões neste sábado

Tarcísio Meira e Glória Menezes são internados com covid-19 em São Paulo

De acordo com o policial, ele e a esposa acordaram às 4h. Ele tomou banho e vítima foi passar sua farda. Ela voltou a deitar, e o policial se abaixou para pegar a arma, que ficava embaixo do travesseiro. Ele deu um passo para trás para beijar a esposa e acabou se desequilibrando ao pisar em uma garrafa de água que estava ao lado do colchão. Foi quando houve o disparo acidental.

A vítima chegou a ser levada a um hospital da cidade, mas não resistiu.

Abalado, o PM se apresentou voluntariamente às autoridades para esclarecer o fato e foi liberado. Na delegacia, a mãe da vítima relatou que o casal vivia harmoniosamente.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos