logo
Foco
Foco 30/07/2021

‘Provas’ de Bolsonaro viram ‘indícios’ e vídeos da internet

Desde a semana passada, o presidente Jair Bolsonaro divulgava que iria apresentar ontem as provas de que as eleições de 2018 haviam sido fraudadas, e que ele teria vencido o pleito presidencial contra o candidato Fernando Haddad (PT) no primeiro turno em 2018.

No entanto, o discurso do chefe do Executivo começou a mudar logo no começo da transmissão ao vivo com presença de jornalistas – que não puderam fazer perguntas para Bolsonaro. O presidente trocou a palavra “provas” por “indícios” e chegou a falar que não seria possível comprovar naquele momento as supostas irregularidades nas eleições.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

jair bolsonaro,provas de fraude eleição,eleição fraude bolsonaro

Os indícios apresentados por Bolsonaro foram uma série de vídeos de 2018 em que eleitores afirmam não conseguir votar no atual presidente porque a urna não aceitava o número 17, que ele usou na ocasião. Além disso, as gravações mostravam pessoas que supostamente tentavam votar em Bolsonaro, mas a urna mostrava a opção “nulo”. Em nenhum momento o chefe do Executivo apresentou inquéritos da Polícia Federal ou de outras autoridades. Inclusive, os vídeos já foram desmentidos anteriormente.

Além dos “indícios” das eleições de 2018, o presidente também mostrou um vídeo de um suposto programador. Na gravação, o jovem diz que consegue alterar “facilmente” o código-fonte de uma urna e simulou alterações em votos no próprio computador. Mais uma vez, não houve apresentação de qualquer prova de fraude do pleito de 2018.

Por fim, Bolsonaro também apresentou reportagens de 2008 e 2012 de investigações de fraudes nas eleições na cidade de Caxias, no Maranhão.

“São indícios fortíssimos que mostramos agora. Quero contagem pública de votos no ano que vem. O que está em jogo é a liberdade do povo brasileiro. Ganhe quem for as eleições ano que vem, mas democraticamente e com urnas confiáveis. É isso que precisamos no Brasil”, afirmou o presidente.