logo
Foco
Foco 27/07/2021

4 dicas de educação digital para os filhos

A pandemia fez explodir o uso de equipamentos eletrônicos pelas crianças na maior parte das famílias. Prova disso é a ascensão da rede social chinesa TikTok, que, embora exija idade mínima de 13 anos para cadastro, tem um enorme número de crianças na faixa entre 9 e 10 anos como usuárias, com permissão dos pais – e até mais novas do que isso.

O tema, naturalmente, preocupa cada vez mais os especialistas. “Se você não ensina seu filho a estar ‘off’, quando ele precisar estar ‘off’ por algum motivo, ele vai sofrer e você vai sofrer”, diz a psicóloga Andrea Jotta, pesquisadora do Laboratório de Estudos de Psicologia e Tecnologias da Informação e Comunicação da PUC-SP. “A questão não é afastá-lo, mas tampouco incentivá-lo.”

Andrea lembra que as referências que os pais dão pesam muito no comportamento dos filhos. “É essencial que a criança aprenda com os pais o valor de olhar no olho, cumprimentar, abraçar e estar em contato com os amigos”, diz. “Se você não ensinar isso agora, depois não poderá reclamar quando seu filho só tiver amigos virtuais.”

Realizada recentemente, a pesquisa “Crianças Digitais” mostrou que 56% das crianças brasileiras têm conta em alguma rede social, sendo que 42% delas acessam essas contas sozinhas ou com senhas próprias. Confira 4 dicas para garantir que seu filho use a internet de modo seguro e saudável.

• Estabeleça um diálogo sobre os perigos da internet com o seu filho.

• Participe das atividades online de seu filho desde cedo como um “mentor”, pergunte sobre as experiências online dele e, em particular, se teve algo que o fez se sentir desconfortável ou ameaçado.

• Defina regras simples e claras sobre o que ele pode fazer na internet e explique o porquê.

• Recursos de controle parental aumentam a segurança no uso de redes como Intagram, Facebook e TikTok, pelas crianças. A solução permite bloquear conteúdos inapropriados, mensagens de spam e ajudar a acompanhar as regras predefinidas de uso da internet.