logo
Atletas de fim de semana, famílias, cachorros e artistas ocuparam a via ontem / André Ribeiro/FolhapressAtletas de fim de semana, famílias, cachorros e artistas ocuparam a via ontem / André Ribeiro/Folhapress
Foco 19/07/2021

A Paulista de braços abertos: como foi o primeiro dia de reabertura da avenida

Por : Vanessa Selicani - Metro

Domingo de sol. A ‘praia dos paulistanos’ foi reaberta após um ano e quatro meses fechada por conta da pandemia. Público mostrou respeito às normas


QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.


Durante quatro horas, foi possível tomar um pouco do sol da manhã de domingo que escapava entre os arranha-céus da avenida Paulista. As crianças conseguiram novamente arriscar as primeiras pedaladas nas pistas abertas da via mais famosa da cidade de São Paulo.

Apareceram cachorros de todos os tamanhos e cores, simpáticos a lamber quem desafiasse contato. Homens e mulheres gigantes em pernas de paus carregavam placas alertando: o pessoal da cultura também está presente na reabertura da Paulista. Os artistas de rua apareceram em menor número, apesar da música variada e muita mágica garantidas. Os artesãos foram menos tímidos. Nas barracas espalhadas pelas calçadas, era possível escolher de tudo: roupa, comida, quadro, planta, potes, tapetes e dinossauros.

Por quatro apressadas horas, entre 8h e 12h, os problemas da cidade pareciam voltar ao normal. Um ciclista aguardando socorro depois de uma colisão com mais alguém na ciclofaixa. Vendedores de apartamentos novos perseguindo pedestres com folhetos. A atendente do balcão da lanchonete alertando uma cliente: “esconde o celular que eles são rápidos para roubar”. Um grupo que grita “Mito!” e outro que prefere “Fora Bolsonaro!”.

Mas as máscaras no rosto, utilizadas pela grande maioria dos que desfrutaram do fechamento para os carros das pistas da avenida ontem, lembravam que o risco da covid-19 ainda é real.

A reabertura aos pedestres, um ano e quatro meses depois, só foi permitida após o avanço da vacinação e a redução dos casos de morte e internação pela doença. A prefeitura afirma ter imunizado 70% do público elegível com a primeira dose. Ontem, fiscais municipais distribuíram máscaras e abordaram os frequentadores sobre a importância de tomar a vacina.

Às 11h55, uma sirene alta ecoou na avenida e agentes de trânsito iniciaram uma tarefa que parecia impossível: afastar o público que não parava mais de chegar para dar espaço novamente aos carros.

Antes da pandemia, a Paulista era aberta ao público das 10h às 18h aos domingos e feriados. A expectativa da prefeitura é que o horário seja retomado gradualmente se houver respeitos às normas e a covid-19 se mostrar controlada. E que venham mais dias ensolarados!